19 agosto 2016

Perda de Peso // A minha alimentação #1

Pois bem, vocês pediram (e pediram muuuito) e cá estou eu com uma nova rubrica chamada "Perda de Peso" onde vou relatar o meu processo de emagrecimento, dicas e a minha rotina de cuidados. A primeira rubrica é sobre alimentação, que foi o ponto de partida para toda esta mudança. Quero ressaltar que o que deu certo para mim foi uma dieta de Reeducação Alimentar totalmente personalizada e feita pela minha médica que soube como ninguém compreender o meu ritmo de vida acelerado, os 'buracos' do dia em que tinha uma fome descomunal e queria comer até os azulejos da cozinha, enfim... O ideal é que procurem sempre um especialista antes de darem este pontapé inicial rumo à perda de peso.


Para começar, a minha alimentação era muito desequilibrada. Pequeno-almoço só quando dava tempo (e normalmente coisas ultracalóricas: ovos mexidos, merenda mista, croissants, queques - e outros alimentos do género), ficava várias horas em jejum entre uma refeição e outra (às vezes a falta de tempo era tanta que só fazia duas refeições ao dia: almoço e jantar - podem imaginar a quantidade de comida que eu metia no prato, não podem? hoje faço 7 refeições!). Não comia fruta (ainda hoje não como muito - não gosto da maior parte das frutas e é algo que estou a tentar contornar), os legumes que comia eram os mais calóricos (batata e cenoura ahaha), fazia mesmo tudo errado.


A minha médica foi taxativa: nunca vais conseguir emagrecer com esse estilo de vida! Comida em demasia e em horas impróprias, longos períodos em jejum, zero exercício físico... Assim não vais lá. (Adoro essa médica por que ela é super directa, sem falinhas mansas e sem panos quentes, manda logo 'a real' assim, de forma frontal). E portanto, há seis meses que a minha alimentação é composta da seguinte forma:

::: Ao acordar: Bebo 2 copos de água gelada, em jejum. Às vezes ainda nem bem acordei (meto sempre o despertador para meia hora antes do horário em que tenho que levantar) mas ao primeiro sinal do despertador, lá agarro na garrafa de água que deixo na mesinha de cabeceira e bebo tudo. (ainda não percebi bem o conceito associado mas creio ser 'despertar' o corpo para começar a acelerar o metabolismo).

::: Pequeno-Almoço: 1 fatia de pão de centeio torrado (o pão tem de ser sempre torrado) + 2 fatias de queijo fresco magro (compro o Matinal) + 1 copo de água (seeempre a água).
ou
1 fatia de pão de 8 cereais (torrado) + 1 fatia de fiambre de peru (ou frango) + 1 iogurte magro (compro o Mimosa Aroma Morango, pelo que percebi é o que tem menos açúcares adicionados)

::: Lanche da Manhã: 1 peça de fruta (Laranja, Maçã ou Pera - são as únicas que gosto mesmo de comer)
ou
1 barrinha de cereais (compro os da Belvita - alterno entre morango e chocolate)

::: Almoço: 1 prato de sopa (qualquer sopa que não tenha batata) + 1 prato com: carne magra (frango, peru ou peixe) + salada à vontade (rúcula, alface, tomate, cenoura ralada, cebola, etc) + 1 colher de arroz ou 2 batatas cozidas/forno (por opção minha - para acelerar a perda de peso - eliminei o carboidrato do almoço e do jantar) e no prato principal como apenas a carne grelhada e a salada, sem outro acompanhamento. (aqui o truque é começar sempre pela sopa, por vezes já chega a altura do prato principal e estou tão cheia que só dou umas 4 ou 5 garfadas e já estou satisfeita)

::: Lanche da Tarde: 1 iogurte magro ou 1 peça de fruta ou 1 barrinha de cereais.

::: Jantar: 1 prato de sopa + 1 fatia de pão torrado c/ queijo fresco ou 1 prato de peixe grelhado com salada

::: Ceia: 1 peça de fruta ou 1 saqueta de bolachinha Belvita (quando a vontade de doce aperta) ou ainda 1 barrinha de cereais integrais (compro os da Nestlé da linha Fitness).

Se entretanto ficar com vontade de comer uma sobremesa (geralmente acontece-me após ao almoço, ao jantar já não tenho tanta vontade), como 1 gelatina light (compro a Royal light c/ 10 calorias por embalagem - sabor morango) ou na loucura, 1 quadradinho de chocolate amargo 100% cacau (adoro o Pantagruel) mas tenho evitado a todo o custo, pelos motivos óbvios :)

Ao início, como tudo na vida, custa imenso. É como se o organismo entrasse em guerra e ficasse ressentido pela quebra de gordura e açúcares. Eu sentia tonturas, dor de cabeça, muito mau humor... depois de umas três semanas passou. Hoje sinto-me mesmo bem com esta alimentação, não tenho falta de nada (tenho vontade - o que é diferente) e já estou automatizada a comer nos horários certinhos e várias vezes ao dia.

Durante a semana levo uma big marmita para o trabalho (com todos os potinhos que tenho que comer durante o dia - e sim, dá trabalho preparar várias mini-refeições) mas é da forma que não caio em tentações na rua. Não confio (ainda) em mim para voltar a almoçar em restaurantes e comer aquelas comidas cheias de sal, azeite e gorduras. Prefiro ser eu a fazer a minha comida com os meus temperos lights (uma boa dica é substituir o sal de cozinha pela 'flor de sal', é excelente para quem faz retenção de líquidos) e ter a certeza do que como.

Os dias mais complicados, por assim dizer, são mesmo os fins de semana onde vou jantar fora com amigos, com família ou ao marido apetece comer uma gordice qualquer na rua... Tento não ficar muito neurótica quando decidem ir a um restaurante e escolho sempre o prato que me parece menos calórico possível mas às vezes dá aquela sensação de "porra, ando a dar duro no ginásio para deitar tudo fora a comer neste sítio...", a consciência pesa um bocadinho - acho que é o medo de voltar a engordar.

Quando percebo que 'meti o pé na jaca' e comi algo fora do permitido, treino em dobro no final daquele dia e parece que a coisa se compõe (pode ser psicológico, mas a verdade é que o ponteiro da balança não sobe). E sim, peso-me todo o santo dia, sempre à mesma hora (de manhã e em jejum) para poder controlar se estou no bom caminho. Era esse o equilíbrio que me faltava (e pensar que cheguei a estar 2 anos sem subir numa balança, com medo). Que tolice!

E vocês, que boas dicas têm para partilhar sobre alimentos amigos da dieta? Sou toda ouvidos!
SHARE:

5 comentários

  1. https://www.facebook.com/RefeicoesFIT/?fref=ts eu gosto de seguir este face. tem optimas ideias

    ResponderEliminar
  2. Tudo muito bem menos essa água "gelada" em jejum. Nem percebi bem como a bebes gelada se a deixas durante a noite na cabeceira. A água gelada em jejum pode fazer exactamente o contrário do que é suposto. Deve ser bebida morna ou à temperatura ambiente e de preferência com umas gotas de limão. O objectivo é meter o metabolismo a trabalhar. A sopa, ou cremes, deve ser evitada na semana antes e durante a menstruação, o motivo é a retenção de líquidos que a mesma provoca. O pão, independentemente do tipo de pão que é, deve ser evitado ao máximo. No máximo metade do mesmo chega. De resto é isso, comer várias vezes ao dia, de preferência de 3 em 3 horas, muita água, cortar doces e refrigerantes (no começo cortar hidratos de carbono acelera a perca de peso), e é ver o excesso de peso desaparecer, mesmo sem exercício físico.
    No entanto acho que nada melhor do que encontrar uma boa nutricionista/dietista, de preferência as que atendem semanalmente para dar mais motivação.

    ResponderEliminar
  3. Anne que bom este poste adorei. Por favor podias partilhar quais os legumes que usa para a sopa? Obrigada.

    ResponderEliminar
  4. Eu sempre fui assim desde que me conheço só que à tarde faço 2 snacks para não jantar com muito apetite. Sempre fiz desporto mas há um ano para cá só faço uma hora por semana e tenho mesmo que arranjar motivação.NUnca fui tão preguiçosa como agora

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Yap, é como eu! Em termos de hábitos alimentares não sei o que poderia mudar, porque já como de forma muito saudável e só prevarico quando como fora (uma vez ou duas por semana). Mas tenho de fazer exercício! Só ando a pé e há 2 meses que não vou ao ginásio...ai.

      Eliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig