30 setembro 2016

Sobre isso de comer (ou não) carnes:

Não, não tenciono tornar-me vegetariana nos tempos próximos (não é uma impossibilidade - eu nunca digo 'nunca' - mas não está nos planos para já), contudo, por motivos de saúde, precisei rever toda a minha alimentação e como sou (era?) extremamente carnívora (prato que é prato, para mim, tinha que ter ao menos 2 bifes ou 40% do prato constituído por carnes), tive mesmo que analisar a forma como comia e pensar em estratégias para ir aos poucos diminuindo a carne do meu cardápio.

Assim que comecei a emagrecer, percebi que sempre que comia carne de porco (ou derivados: bacon, fiambre, chouriços), acordava com as mãos dormentes no dia a seguir. Perguntei à minha médica o porquê disso e ela disse-me que a ingestão de carne de porco é extremamente prejudicial para quem tem má circulação e retenção de líquidos (especialmente para diabéticos) e que eu deveria abolir este tipo de carne do meu cardápio.

Foi triste. Eu adoro uma bifana no pão (não falo no tempo passado porque continuo a gostar), adoro uma farofa de chouriço, uma tosta mista com fiambre, costeletas então... ui ui até lambo os dedos! Mas já estava na luta para emagrecer e sinceramente, hoje acho que todo sacrifício é recompensado quando entramos 'naquele vestido' e nos sentimos lindas.

Comecei devagar: a carne de porco foi substituída por carnes magras (essencialmente: frango, perú, peixes variados) e ao fim-de-semana permitia-me comer alguma carne vermelha (bife da vazia, costeletas ou carne picada). Não tenho sentido falta da carne de porco, só mesmo quando olho para o prato do marido e vejo um chouriço assado ou assim (até me babo!) e confesso que tem sido chato ter que separar 'uma carne para mim e outra para ele', implica ter que cozinhar pratos diferentes às vezes (não vou privá-lo de comer o que ele gosta por minha causa), enfim, que remédio!

Com isto fiz uma descoberta surpreendente: descobri que adoro peixe! Eu, a pessoa que só comia bacalhau, agora como de tudo: dourada, sardinha, salmão, perca, truta, atum... marcha tudo. Também descobri - à sorte - que pelos vistos já não sou alérgica a camarão ahahaha. Desde criança sempre fui alérgica, se comesse um rissol de camarão era certinho que à noite estaria toda inchada e a ter que tomar Atarax ou Polaramine (no Brasil). Há uns meses decidi, por minha conta e risco, comer miolo de camarão (já tinha até o remédio na mala para tomar) mas não tive qualquer reação alérgica. Então... tenho comido imenso camarão (quando eu esticar o pernil, aviso-vos ahaha). A minha mãe diz que qualquer dia caio redonda no chão, que em criança tinha ataques de alergia ao camarão mas não sei o que se passa, acho que ganhei imunidade ao ficar mais velha, sei lá. (quem perceber deste fenómeno, que se chegue à frente!)

Além disso, desde o início de Agosto, por iniciativa própria, deixei também de comer carne vermelha e neste momento como apenas frango, peru e peixes. Esta mudança tem dois objectivos: emagrecer com saúde e minimizar os riscos de cancro associado ao consumo das carnes vermelhas (que só recentemente tomei conhecimento e fiquei assustadíssima). Para já tem corrido bem, muito bem mesmo. O mais difícil para mim é mesmo ficar sem arroz. Ai meu Deus, eu troco o meu reindo por um prato de arroz basmati! Custa pra burro, o arroz é a minha paixão mas tem que ser, é a vida.

(entretanto notei que desde que cortei a carne vermelha da minha alimentação - há um mês - que estou com o cabelo e as unhas mais enfraquecidos. O cabelo, que sempre foi fortíssimo, agora cai-me ao lavar ou pentear (coisa que nunca aconteceu). As unhas, por qualquer motivo, descamam e ficam fininhas. Não sei se há alguma relação mas pelo sim pelo não, esta semana tenho consulta com a médica e vou pedir para ela me passar novas análises. Era só o que me faltava ficar magra e careca hahaha. Ou sem unhas! :P)

E vocês, têm alguma dica daquelas mesmo boas para quem está a diminuir a ingestão de carne? Sou toda ouvidos!

(regressei a Portugal hoje pela manhã e ainda estou em modo deprê de maneiras que este post foi agendado há uns dias... Assim que me passe a neura, venho cá contar as novidades).
SHARE:

8 comentários

  1. Eu faço isso que dizes já há algum tempo. Levo marmita para o trabalho, então tento fazer sempre 2 pratos de carne, 2 de peixe/marisco e 1 vegetariano por semana. Só como se vez em quando carne de vaca se for a uma hamburgueria. Faço isso não para perder peso, mas por questões de saúde (os tais riscos associados ao consumo de carnes vermelhas que mencionaste) e para ter uma alimentação diversificada. Não me custa e gosto bastante :) como também sempre sopa e acompanhamentos costumo fazer arroz, massa, puré, batatas cozidas e couscous (cada dia um diferente). Às vezes ainda junto uns vegetais, tipo bróculos ou couves cozidas.

    ResponderEliminar
  2. Eu sempre adorei peixe, o único problema é que é uma chatice para aquecer (só é bom se feito na hora) e, como levo sempre marmita para o trabalho, venha daí a carne. Dou preferência a frango porque gosto mais mas de vez em quando lá vem o porco ou a carne de vaca. Por motivos de saúde (um problema de estômago que se arrasta há anos) a minha alimentação tem de ser com comidas muito simples, com um mínimo de temperos e principalmente cozidos e grelhados e à noite os jantares são sempre saladas, peixe cozido, etc. Gosto mesmo muito e, se gostares do sabor dos grelhados, ter uma variedade de peixes em casa para grelhar pode ser uma boa opção. Para além disso há mil e uma maneiras de cozinhar frango e mesmo os bifes de perú conseguem ser bastante versáteis.

    ResponderEliminar
  3. Há alergias que com o passar do tempo ou aparecem ou desaparecem. Sobretudo no período da adolescência e outros em que as hormonas e mais n coisas se "alteram". Eu, por exemplo, fui ao contrário de ti: aos treze tornei-me altamente alérgica a marisco (uma coisa horrível que só de cheirar o meu pai a fritar camarões ficar com uma tosse assustadora) e que não resolve com Antarax (quem me dera)! Pode ter sido isso que te aconteceu :)

    ResponderEliminar
  4. Eu gosto muito de carne vermelha e não sou muito fã de carne magras, mas o que é mais comum é comer a carne de frango, tanto que já enjoei.
    Acho que o essencial é você manter uma alimentação bem equilibrada, intercalar.
    Eu não deixo de comer carne nunca, porque legumes e outros eu não suporto, então se eu não comer carne padeço facilmente, rs.

    ResponderEliminar
  5. Acho que tem toda a razão no que diz. Agora devia tentar fazer uma substituição por alimentos biológicos. Principalmente o frango e os peixes de aquicultura estão cheios de antibióticos, farinhas de engorda e de substâncias altamente tóxicas. O problema dos legumes e frutas são os agro tóxicos, pesticidas,sulfitos e até a própria água de rega que por vezes está contaminada. Boa sorte e Parabéns pela mudança.

    ResponderEliminar
  6. Olá Anne :) o cabelo e unhas enfraquecidas devem-se à falta de ferro, presente na carne vermelha e feijão (entre outros). Certamente que as análises acusarão isso!

    Parabéns por toda essa jornada!

    ResponderEliminar
  7. Eu que sou permanentemente anémica, o médico diz-me que a nível de alimentos nada providencia tão bem ferro como um bom bife de vaca, e eu que também ando na luta (leia-se dieta) tento comer o tal bife 1x por semana.

    Tirando isso é muito frasquinho de ferro pela goela abaixo, mesmo assim o cabelo e as unhas estão sempre fracos :(

    ResponderEliminar
  8. Olá, eu tenho aprendido sobre a dieta paleo que é mais estilo de vida, que propriamente dieta.

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig