10 outubro 2016

Illhas Gregas // a ilha de Mykonos

Depois de três vôos seguidos (e já super exaustos), eis que chegamos à ilha de Mykonos. O vôo Atenas-Mykonos foi uma delícia, do jeitinho que eu gosto: 35 minutos de vôo hahaha. Não dá tempo nem de cochilar (como se eu dormisse em vôo mas faz de conta) e pelo caminho vamos passando por cima de outras ilhas, é uma paisagem linda de se ver lá do alto. Chegámos de manhã (7h20) e ainda estava a amanhecer na ilha:

 (truque de amiga: para quem detesta sentir a turbulência no avião, o conselho é sentar sempre nas fileiras por cima da asa, é outra estabilidade e desde que passei a fazer isso que as minhas viagens são muito mais tranquilas)

O hotel que escolhemos oferecia serviço de transfer gratuito do aeroporto ou do porto (eles foram nos buscar no aeroporto e no final da hospedagem, levaram-nos até ao porto para apanharmos o ferry para Santorini) e ficava a 10 minutos a pé do centro de Mykonos (Mykonos Town). Nós o escolhemos por ter um preço razóavel (125€/noite), pela localização central e pelas comodidades: piscina, jacuzzi, pequeno-almoço buffet, ar condicionado, serviço de rent a car, transfers, etc... Não nos arrependemos! O hotel chama-se Petinaros Hotel e a nossa opção foi um 'Quarto Duplo Superior', que fica num género de 'villa' tipicamente grega (casinhas brancas com portas e janelas azuis), eu adorei a experiência e recomendo! A única ressalva é que o dono era extremamente antipático, mas todos os outros funcionários foram cinco estrelas.

O funcionário mais simpático do hotel, Panagiotis, informou-nos que apesar do check in ser só às 12h (e eram 7h30 da manhã - estávamos podres!) ele já tinha o nosso quarto pronto e nos oferecia como oferta o pequeno-almoço buffet do primeiro dia (que não fazia parte). Enchemos o bucho, tomamos um banho e caímos na cama, mortos de cansaço. Acordamos já perto das 16h (a malta aqui adora dormir) e fomos a correr para a praia!

As praias de Mykonos são qualquer coisa! Água morna (mesmo! Ainda achei mais quente que em Ibiza - mas não tanto como as do México), para mim foi a temperatura ideal. Nem dava vontade de sair e eu passei horas assim, deitada na beira da praia (que não tinha ondas - outro ponto a favor) só a apanhar sol e a pensar que era menina para fazer disto vida.

E o meu maior medo de ir para a Grécia no meio de Setembro era apanhar mau tempo e não conseguir curtir as praias... Apanhei sempre com temperaturas acima dos 31º e como podem ver, às 17h os termómetros marcavam a simpática temperatura de 39ºC!

Experimentámos o famoso Pita Gyros e o Souvlaki (o típico 'espetinho' brasileiro - adorei e matei as saudades). Este tipo de comida não é nada caro (pagámos 1,70€ pelo souvakli e 6€ pelo gyros) mas em contrapartida, tudo o resto é muito caro (talvez Mykonos seja o lugar mais caro em que já estive): restaurantes de garfo e faca, supermercados, lembrancinhas, roupa, enfim... muito caro mesmo. Ainda bem que foram só 4 dias, senão era falência na certa! :P

Esta parte da ilha é conhecida como 'Little Venice' porque as casinhas (maioritariamente restaurantes) foram construídas mesmo em cima do mar Egeu. Jantámos num desses restaurantes e a vista é incrível à noite, com o barulhinho das ondas a chocarem-se contra os muros. Deslumbrante!

O meu amor no centro antigo de Mykonos (conhecido por 'Chora') e suas ruas típicas caiadas de branco, com o chão de pedrinhas. Tão tipicamente grego!

 Ahhhhh queria abraçar a ilha! :D

O nosso meio de transporte em Mykonos. Alugámos duas moto4 porque queríamos ter a experiência de conduzir um veículo mais wild, só a sentir o vento na cara! Essas motas não obrigam o uso de capacetes (eu ainda pensei em alugar um mas o funcionário da rent a car fez um ar tão surpreso quando perguntei pelos capacetes - e não vi nenhum dos outros turistas a usar - que achei melhor deixar de ser esquisitinha). O nosso hotel tinha uma parceria com a First Rent a car, pelo que tivemos direito a um desconto e pagamos 50€/dia pelo aluguer das duas motas. Elas não são muito rápidas (só vão até 65km/hora) mas foi incrível andar pela ilha (fizémos de uma ponta à outra) de motociclo!

No outro dia acordámos cedo e fomos até a praia de Platys Gialos (lindíssima também) e descobrimos que havia imensos táxi-boats que faziam a ligação entre as praias mais famosas de Mykonos (SuperParadise, Elia, Paradise...). Apesar de não gostar muito de barcos (porque fico super maldisposta), achei que era mais prático percorrer as praias assim do que ir de moto4, então lá fomos nós! O bilhete do barco dá para todo o dia e para em 5 praias: Elia, Agrari, Super Paradise, Paradise e Paraga. Pagámos 40€ pelos dois.

Visitámos as 5 praias do dia e ficamos cerca de 1h30 em cada uma delas. Escolhemos almoçar na Super Paradise porque tinha um restaurante de marisco maravilhoso e o ambiente era incrível. A maior parte dessas praias possuem guarda-sóis e espreguiçadeiras (30€ o dia inteiro) mas como nós estávamos a saltar de praia em praia, não nos compensava alugar, pelo que deixámos as nossas coisas na areia (que não é areia, mas sim pedrinhas pequeninas) junto com mais 'n' turistas que não estavam para pagar para estar na praia.

(esta foto está em tamanho grande de propósito - cliquem para aumentar)

Como podem perceber pela fotografia acima, as praias em Mykonos são demasiado... liberais. Eu sou toda tímida para fazer topless (só o faço no estrangeiro e mesmo assim, o marido faz cara feia), mas o que vi em Mykonos foi surpreendente: em Elia Beach, por exemplo, metade da praia é gay. Há mesmo uma divisão, onde tem a bandeira gay c/ o arco-íris e dali pra frente o público é 100% gay. A maior parte faz nudismo, então é uma coisa meio 'orgia à céu aberto' porque estão nus, abraçados, pila com pila e achei que era desnecessário. Quase não vi lésbicas, mas homens homossexuais eram aos montes. Sinceramente, não me senti nada à vontade e assim que vi o barco no horizonte, arrumei os meus tarecos e pirei-me dali. (não tenho nada contra homossexuais mas acho que muitas vezes fazem questão de assumirem uma postura 'provocadora' para chamar a atenção, nesta praia então era mesmo à cara podre. Da mesma maneira que acharia mal um casal hetero em nudismo estarem aos apalpões e esfreganços à vista de qualquer um, num casal homo a coisa é tão feia quanto).

A garrafa de água foi a tal que nos custou 6€ (por ser tão cara, até mereceu uma foto hahaha) mas a praia em questão era bem deserta (Kalo Livadi) e não havia mesmo nada ao redor, só um bar na praia que cobrava 30€ por um frango assado com batatas e 6€ por uma garrafa de água. Ninguém merece...

No nosso último dia em Mykonos decidimos explorar as praias do norte da ilha (as melhores ficam no sul mas como tínhamos tempo, fomos espreitar as outras) e começámos por Kalo Livadi, a magnífica praia de areia verdadeira (as outras são de pedrinhas).

Passámos uma manhã por lá, almoçamos na vila e terminamos o dia na praia da Panormos, outra praia cheia de beach clubs e restaurantes fofinhos!


Se me pedissem para escolher apenas uma praia, entre as mais de dez que visitámos, não saberia escolher. São todas muito semelhantes e lindas, de águas claras e mornas, umas mais acessíveis que outras mas ainda assim, todas maravilhosas. A grande diferença é que as praias do Sul são de facto mais famosas e com pedrinhas, enquanto que as praias do Norte têm areia mas também têm algum vento - o que pode ser ruim num dia em que não esteja tanto calor.

No fim da tarde apanhamos o speed ferry da SeaJets rumo à ilha de Santorini e confesso que detestei a viagem. Foram três horas numa seca descomunal, com o ferry a abanar por todos os lados, sem televisão ou internet disponível (pelo preço do bilhete, 63€ cada um, deveria ter) e quando fui à casa de banho, ainda pior: estava toda vomitada, um mau cheiro que não se podia, restos de comida pelo chão, enfim... Tão rápido como entrei, saí. Não recomendo essa viagem mas estava limitada em termos de opções: ou voltava de Ryanair para Atenas e de lá apanhava outro avião para Santorini... ou então pagava 150€ por um bilhete da Aegean Airlines (a única companhia que faz a ligação entre as duas ilhas), que achei caro. Mas sabendo tudo o que sei, hoje teria pago um pouco mais e ido de avião, as três horas no ferry foram um verdadeiro suplício mas quando chegámos ao porto de Santorini.. ah, pessoas, tudo vale a pena!

(continua...)
SHARE:

3 comentários

  1. É por isso que adoro este blog.
    Neste momento não tenho dinheiro para fazer estas viagens. Mas ler estes posts dá me motivação para trabalhar muito e lutar para um dia que espero breve consiga fazer este tipo de férias.
    Quero mais Anne!!!
    E obrigada :D

    ResponderEliminar
  2. Olá Anne!
    Ainda bem que gostaste de Mykonos e Santorini! Em Julho foi o meu destino de férias, mas fiz ao contrario: 2 dias em Santorini e depois uma semana em Mykonos.
    Os voos sairam mais "carotes" que os teus, mas foram diretos de Espanha (Madrid-Santorini e depois Mykonos-Barcelona). Entre as ilhas também fui de ferry pela SeaJets e paguei o mesmo que tu. Mas a viagem foi super tranquila, e havia TV e wi-fi!!
    Quanto às praias de Mykonos, também corri todas. Mas a minha favorita foi a Paradise, sem dúvida!! E até conseguias almoçar uma Pita por 3€ :)
    Por seu lado, Santorini não tem "movida" mas é simplesmente o local mais bonito do Planeta.
    São ilhas estupidamente caras (foi o sítio mais caro onde estive até hoje) mas valeu cada euro!!!!
    Vieste com a sensação de querer voltar, não? ;)
    Um beijinho
    Sara

    ResponderEliminar
  3. Minha querida Anne, que post delicioso. Adorei cada detalhe, até porque a Grécia é um dos meus destinos de sonho. Já ando a colecionar dicas para quando lá for.
    E que bronze é esse, menina? Inveja, eu admito!
    Beijo grande.
    lefashionaire.com

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig