05 outubro 2016

Já me chamaram de muita coisa agora... disso?

Saí do trabalho e fui ao Colombo com mamãe. Sabem aquela velha frase que diz que 'devemos matar aquilo que está nos matando?", então... a verdade é que no último fim-de-semana fiquei apaixonadíssima por um sobretudo estilo militar, azul escuro, lindo de morte mas achei que ainda era cedo e que tinha tempo para o comprar até o frio aparecer. Passei a semana inteira a pensar nele e ontem disse à minha mãe que tinha que passar no shopping para o buscar (depois mostro-vos: é lindo!).

Lá fomos as duas lamber montras pelo Colombo e temos a mania (estranha?) de andar de mãos dadas na rua. Adoro andar colada à minha mãe, é das coisas que mais prazer me dá. Adoro o cheiro que a minha mãe tem, a forma como tem sempre solução para tudo, as ideias mirabolantes que a cabecinha dela inventa (e que acaba dando certo - não sei como), até o jeitinho 'justiceiro' dela que de vez em quando a faz armar os maiores barracos de sempre, gosto de tudo nela. É a minha inspiração e o meu amor maior. Devo tudo à ela e à minha avó, são as pessoas mais especiais do meu mundo.

Mas bem, dizia eu que íamos a andar de mãos dadas quando passa por nós duas adolescentes e uma diz para a outra: "olha, Joana, duas fufas!". Opá, desmanchei-me a rir. É que eu sou a cara chapada da minha mãe (toda gente o diz!) e como só temos 19 anos de diferença, toda a gente aposta em como somos irmãs (nunca mãe-e-filha)... agora fufas? Hahahaha. Esta gente é mesmo doida! (fiquei só a pensar que se, de facto, fôssemos um casal lésbico, era um bocadinho indelicado - para não dizer outra coisa - ouvir essa frase em alto e bom som no meio de um shopping...)
SHARE:

4 comentários

  1. Eu também ando de mãos dadas na rua com a minha mãe. Aliás, revi-me neste texto ao escreveres "é a minha inspiração e o meu amor maior". (a minha mãe e o meu pai, mas confesso que acabo por ter uma ligação ainda maior com a minha mãe).
    Agora, acho incrível como é que em pleno século XXI, duas adolescentes fazerem comentários desses. Por acaso são mãe e filha, mas elas podiam ter feito esse comentário mesmo a um casal de lésbicas. Que para além de indelicado, é retrógrado, é parolo.

    ResponderEliminar
  2. Adoro a maneira como falas da tua mãe, eu não ando de mãos dadas com a minha filha porque ela é "muito à frente" para isso, mas anda sempre pendurada em cima de mim, ou a dar beijinhos, ou a dar o braço... enfim mimo-a eu e mima-me ela! Agora duas adolescentes em pleno século XXI espantar-se e dizer em alto e bom som "duas fufas??" é ridiculo e xenofobo pensei que a nova geração já tivesse posto de lado certos preconceitos.
    Enfim...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. xenofobia é preconceito com pessoas de outros países. No caso, foi mesmo homofobia...

      Eliminar
  3. Anne, eu andava para comprar um destes casacos que está muito na moda, tipo parka em verde tropa com capucho de pêlo em camel, desde o ano passado, mas como não vi nenhum que gostasse realmente, acabei por não comprar. Na semana passada, andava eu no shoping a ver montras, quando os meus olhos avistaram um lindo casaco, mesmo como eu queria e numa loja que nunca comprei lá nada antes, por não ser muito o "meu estilo de roupa", a loja é a Sfera. Até se encontra casacos giros por lá, tinha um que adorei, todo em pelinho em tons leopardo acima do joelho (cara da riqueza) lol!! E não são mto caros, o meu foi 60€ verde tropa com um lindo carapuço de pêlo camel, ao nível da anca. Esses que falas em estilo militar, vi na Zara no domingo passado. Beijinhos😘

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig