02 outubro 2016

Porque eu amo viajar:


No facebook da vida encontrei um texto perfeito que resume tudo o que penso (e sinto) quando viajo. É que tiraram-me as palavras da boca, é tudo isso, sem tirar nem pôr:

"(...) Quando eu viajo, eu rio mais, eu sou mais carinhosa, eu faço ligações entre as coisas que já vi, estudei e o que estou conhecendo, eu lembro de pessoas queridas. Quando eu viajo eu sou uma pessoa fácil, maleável, com disposição, que aceita as mudanças de bom grado, eu provo coisas novas, aceito fazer programas que não curto tanto para acompanhar (e agradar quem eu amo). Quando eu viajo eu não me julgo isso ou aquilo. Eu faço o que quero e o que dá, sem neuras. Eu sou prática. Quando viajo não ligo para a minha aparência a ponto de perder algo por isso e me importo com ela o bastante para usar acessórios.

Quando eu viajo, acordo cedo no primeiro toque do celular, mesmo que tenha ido dormir bêbada e tarde. Caminho o dia todo e caminho mesmo, quilômetros. Corro entre uma atração e outra. Tenho programação para o dia e para a noite. Enfrento fila. Faço trilhas, canoagem, esquio, ando de bicicleta. Quando estou em casa eu fico cansada. Eu deixo de fazer coisas, encontrar gente por estar cansada. Se vejo 5 pessoas na fila do mercado fico sem comprar o que queria. Quando eu estou em casa eu pego táxi para ir a lugares no meu bairro.

Quando eu viajo eu erro o endereço do que queria visitar. Vou a locais longe do hotel só para descobrir que estão fechados. Pego chuva com um sapato que não pode molhar. Suo debaixo de blusas quentes porque a previsão dizia que faria frio. Depois de uma longa espera vejo que a comida do restaurante baratinho da minha esquina é muito melhor que a de um restaurante must see caríssimo. E acho tudo isso incrível, interessante, enriquecedor, um aprendizado, tópico de postagem no facebook seguido de #hahaha e não #mimimi.

Quando eu viajo, eu rio mais, eu sou mais carinhosa, eu faço ligações entre as coisas que já vi, estudei e o que estou conhecendo, eu lembro de pessoas queridas. Quando eu viajo eu sou uma pessoa fácil, maleável, com disposição, que aceita as mudanças de bom grado, eu provo coisas novas, aceito fazer programas que não curto tanto para acompanhar (e agradar quem eu amo). Quando eu viajo eu não me julgo isso ou aquilo. Eu faço o que quero e o que dá, sem neuras. Eu sou prática. Quando viajo não ligo para a minha aparência a ponto de perder algo por isso e me importo com ela o bastante para usar acessórios.

Quando eu viajo eu sou uma pessoa que eu gosto de ter por perto. Eu sou quem eu queria ser 365 dias por ano. E é por tudo isso que eu amo viajar. É também porque aprendi, viajando, que não preciso de todas as condições perfeitas para ser quem eu quero que escolhi a opção  mais difícil, menos prática. Eu não quero viajar 365 dias por ano. Eu quero tentar, em uns 300 dias por ano (2 meses de viagens me bastam!), – e sem colocar em uma lista de tarefas – aprender a ser o meu eu viajante, aqui mesmo, em casa." 

SHARE:
© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig