12 dezembro 2016

Fraude com Cartão de Crédito // Aconteceu comigo!

Contei-vos no outro post que estava diante de um caso de clonagem no meu cartão American Express e que só poderia partilhar mais detalhes convosco (para vos alertar) quando as investigações realizadas pela Amex terminassem. Pois bem, investigações concluídas e dinheirinho reposto no meu cartão (depois de um mês em agonia sem saber o que fazer - não há muita informação sobre isso na internet), eis que posso relatar-vos toda a experiência.
Começo por vos lembrar da altura em que fiz adesão aos cartões de crédito que davam milhas no programa TapVictoria (podem ler aqui). O banco deu-me dois cartões, um Visa e o outro American Express, ambos com limites bastante elevados (tipo, três vezes o meu ordenado) que eu nunca consegui utilizar na totalidade (se conseguisse o meu marido dava-me um tiro). Faço uma utilização normalíssima (compras, viagens, passagens de avião, compras no ebay, etc) e todas as semanas vou fazendo pagamentos pontuais para quando vier o extracto mensal não cair da cadeira (e nunca deixo a 'dívida' passar de um mês para o outro - caso contrário, pagaria juros).

Em Novembro decidi que não utilizaria nenhum dos cartões de crédito e que pagaria todas as minhas compras com o cartão multibanco (estou me guardando para os saldos, quero investir em dois artigos de valor elevado e quis deixar os cartões de crédito intactos). Por isso, raramente consultava o saldos dos cartões de crédito visto que sabia exactamente o montante que lá estava pois não os utilizei.

No final de Novembro, pela altura da Black Friday (que calhou a 25 de Novembro) quaaase caí em tentação de comprar um artigo (estava com 40% de desconto, uma pessoa fica louca, ainda para mais numa marca que ~nunca~ faz saldos) e abri o extrato do cartão de crédito assim só naquela de confirmar que o dinheirinho estava ali. E não estava!

Olhem, eu não sei como explicar a sensação que eu tive naquele momento. Consulto sempre o saldo dos cartões através do aplicativo do banco no telemóvel, estava no trabalho quando abri o saldo e fiquei em estado de choque! Vários movimentos, todos de compras online em sites holandeses, feitos com o meu cartão. Compras de dia 18 de Novembro, 22 de Novembro, 24 de Novembro... entrei em pânico total e fui confirmar se os cartões estavam dentro da carteira (sou despistada, poderia tê-los perdido numa loja qualquer) mas lá estavam os dois cartões na carteira. Pensei logo: "meu Deus, clonaram o meu cartão!" seguido do segundo pensamento que foi: "como é que vou fazer para provar que não fui eu que utilizei o cartão?".

Corri para o computador e comecei a pesquisar o nome das empresas que constavam nas compras feitas com o cartão. Uma delas era uma perfumaria holandesa e eu juro que num momento de loucura cheguei a cogitar que estaria doida e que agora fazia compras e não me lembrava de nada! Depois caí em mim e pensei: "Calma, estás a ficar maluquinha, respira. Tu nunca entraste nesse site, como poderias ter comprado?". Acalma-te! - essa era a palavra de ordem. O segundo site era de uma rede ferroviária que liga alguns países como França, Holanda e afins... Só aí é que tive mesmo certeza que tinha sido clonada, visto que eu jurei a mim mesma nunca mais cruzar fronteiras de países numa viagem de comboio (um dia vos conto a história), portanto, bilhetes de comboio internacionais não poderiam ter sido comprados pela minha pessoa.

Depois de interiorizar que tinha mesmo sido clonada, liguei para a linha de atendimento do banco e expliquei a situação. Numa primeira instância, detestei a forma como falaram comigo ao telefone "então e não se lembra de ter feito essas compras?" e eu danadinha para dizer que não me lembrava, que era sonâmbula e durante as noites mais agitadas sacava dos cartões e passava madrugadas na net a comprar merdas em sites estrangeiros. Ai a minha paciência! Siiim, eu sei que vão dizer que eles estão fartos de lidar com burlas de cartões e de pessoal que 'forja' cenas destas para andarem a mamar dinheiro aos cartões mas acho que deveriam ter algum filtro a falar com as pessoas, especialmente em situações delicadas destas. Perguntas como "então e só agora é que foi visualizar o histórico de movimentos do seu cartão?" só me davam vontade de berrar. Se eu não utilizei a porcaria dos cartões durante todo o mês de Novembro, porque raios me daria ao trabalho de entrar todo santo dia no site do banco para verificar se os meus milhões ainda continuavam lá, intactos? Parti do princípio que só eu, a única titular da conta, é que teria acesso a mesma mas parece que estava enganada. Adiante.


O funcionário explicou-me que todas as compras (totalizavam 8 operações) foram realizadas com o cartão Amex e que deveríamos de imediato proceder ao cancelamento do mesmo. Por medida de segurança achei melhor cancelar os dois cartões, Visa e Amex. O funcionário explicou-me que o banco abriria um processo de clonagem e que a American Express faria as investigações para apurar a veracidade da fraude. Caso ficasse provado que não tinha sido eu a utilizar o cartão, então o dinheiro seria devolvido para o meu cartão. Caso contrário, eu teria que pagar a fatura na íntegra e poderia ter os meus cartões cancelados por ter tentado 'aldrabar' o banco.

Perguntei quanto tempo demoraria esse processo, visto que no mês seguinte (dezembro) venceria a fatura do cartão (e tinha perto de 1000€ em compras clonadas para pagar) ao que ele respondeu que era incerto, poderia levar dois meses, quatro meses... e que até lá eu pagasse na íntegra o valor 'surrupiado' do meu cartão que no final da investigação o banco devolveria o montante.

Oi?! Quer dizer, eu sou burlada, apanho um susto de morte, cancelo todos os meus cartões de crédito, fico com uma dívida de 1000€ feita por algum espertalhão e o banco sugere que eu pague a dívida na totalidade para depois provar que eu sou inocente na história e aguardar a boa vontade do banco em me restituir o dinheiro? Fiquei puta da vida, em bom brasileiro. Desliguei a chamada e fui para a internet pesquisar casos semelhantes, para saber se esse era mesmo o procedimento normal.

Não encontrei quase nada, só casos ocorridos em outros países. Decidi armar-me em 'CSI do crime cibernético' e contactei por email todas as empresas onde o 'esperto' andou a fazer compras. Identifiquei-me como a titular e dona do cartão, falei que vivia em Lisboa e que não tinha dado autorização a ninguém para utilizar o meu cartão, que já os tinha cancelado e que iria à polícia. Solicitei a identidade do comprador (no caso da perfumaria, eles responderam a dizer que a encomenda já tinha sido enviada no dia anterior para a morada indicada) e no caso da empresa de comboios, indicaram que os bilhetes eram sempre emitidos em nome da pessoa que vai viajar mas que eles só poderiam fornecer a identidade do mesmo com ordem judicial.

Decidi ir  à polícia e abrir uma queixa de burla pela fraude com os cartões. Fui à esquadra mais próxima do meu trabalho e relatei todo o acontecimento. Os policiais que me atenderam foram uns queridos (mesmo!), atenciosos, fizeram um relato minucioso de tudo o que eu tinha relatado, pediram documentos (troca de emails com as lojas estrangeiras) e no final disseram-me que eu poderia futuramente ser notificada para prestar algum esclarecimento sobre o caso (ninguém merece, pois não?).

No dia seguinte fui diretamente à minha agência bancária e entreguei toda a documentação à minha gestora de conta (auto policial, prints dos emails, etc) e ela voltou a frisar que isso era um processo demorado, que o mais certo era eu ter que pagar tudo e futuramente o banco ter que devolver.

Como achei essa resposta inadmissível (não é normal um cliente lesado ter que pagar, tentar provar a sua inocência e só depois ter o dinheiro devolvido) voltei a falar com ela e ela disse-me que a maior parte dos cartões de crédito possuem um seguro de fraude/burla associado e que em casos comprovados de burla, o banco aciona o tal seguro e o seguro paga todos os débitos indevidos. Nem sabia que o meu cartão tinha esse seguro (aleluia, tinha!) e foi uma das coisas que me passou completamente ao lado na altura em que fiz o cartão. Do jeito que as coisas estão, com tantos espertos por aí, nunca podemos ter um cartão de crédito sem seguro associado, penso eu.

Nos dois dias seguintes ainda tive a infelicidade de ver mais dois débitos serem incluídos no cartão (um deles da pizzaria Dominos - é lixado imaginar alguém comendo pizza em Amsterdão com o TEU dinheiro, é uma sensação de injustiça do caraças!) e comecei a lembrar da conversa trocada com a minha gestora:

- Sabe, é que eu tenho esses cartões há quase três anos e nunca me aconteceu nada parecido. Eu tenho um limite alto nos cartões, já pensou se eu não me lembro de ir ver o saldo e só o fosse ver dali há vários dias? A pessoa teria feito 'a festa' no meu cartão, poderia ter tido tempo de utilizar todo o meu limite e eu ficava com a bonita dívida de vários zeros para pagar... Acho que nunca mais confio num cartão de crédito.
- Ah mas não vale a pena pensar nisso, agora já cancelou os cartões, já não podem fazer nada.
- Pois, mas não sei se tenho coragem para pedir novamente os cartões, ao menos não antes de saber como alguém teve acesso ao meu Amex.
- Tente pensar em alguma situação de risco em que possa ter deixado o cartão. Ou alguma situação em que o cartão tenha saído da sua visão, por exemplo, quando o entregou a algum vendedor numa loja...

E fez-se luz! Armei-me novamente em Sherlock dos cartões e liguei para o hotel onde fiquei hospedada em Atenas, inventei que era uma cliente que lá tinha estado na semana anterior e que precisava falar urgentemente com o dono do hotel. A resposta do funcionário? "O dono não pode falar neste momento, está de férias fora do país!". Bingo! Não posso afirmar com toda a certeza, porque não tenho provas, mas apostaria uma perna minha em como a burla se deu no hotel em Atenas. E sim, no momento de stress, deixei o American Express em posse do dono enquanto ele foi à sala dele buscar outro terminal para passar o Visa (sim, fui burra, mas nunca pensei...).

A lição que tiro de tudo isso? Eu poderia dizer que seria 'não confiar nas pessoas' mas não quero tornar-me nesse tipo de gente descrente em tudo. Foi só mais um aprendizado mas ainda prefiro crer que nem toda a gente é aldrabona. Vou estar muito mais atenta no futuro (se bem que fiquei tão traumatizada que ainda nem mandei emitirem novos cartões), não vou passar o meu cartão em qualquer sítio e sempre que houver a mais 'situação estranha' com um dos cartões, vou proceder de imediato ao cancelamento dos mesmos. É a única solução que encontro.

Na 4ª feira à tarde finalmente o caso teve um desfecho, a minha gestora ligou-me a dizer que a American Express já tinha activado o seguro do meu cartão e que tinham concluído que as compras foram realizadas sem a minha presença, logo, tratou-se de burla. Achei a explicação um pouco vaga (queria nomes, moradas, detalhes...) mas quando abri o extracto dos cartões e vi lá o meu dinheirinho de volta, só queria pular de alegria! Demorou menos de um mês e tudo correu pelo melhor. Tanto stress à toa :P

E vocês? Já passaram por alguma situação semelhante?
SHARE:

13 comentários

  1. Olá Anne!
    Podes dizer qual é o nome do hotel? É que na semana passada marquei um hotel mesmo na zona onde ficaste (pelo que vi no teu post sobre Atenas) e como me pediram depósito da primeira noite, agora fiquei com receio!!

    Obrigada!
    Filipa

    ResponderEliminar
  2. Porra!!!! Até me fizeste abrir o meu extracto do meu cartão... sou exactamente igual! Vejo o extracto raramente :P

    ResponderEliminar
  3. Anne, já aconteceu comigo e mais que uma vez. Sempre compras em outros países! Como entro na minha conta todos os dias alertei logo o banco mas já me ligaram pelo menos 2 vezes a perguntar se tinha tentado fazer um pagamento no local x, ou seja, uma tentativa de clonagem! E na sequencia cancelaram me o cartão e enviaram um novo.
    Eu cancelei a minha conta da Millenium porque o tratamento deles após clonagem era um lixo! Aconteceu me com a CGD e nunca me senti mal tratada e no atual Banco Best (que tambem da milhas TAP!) tambem sempre tratam de tudo com rapidez e eficiência.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  4. Aconteceu algo parecido aos meus pais, que nunca utilizaram o cartão deles fora de Portugal, nunca fazem compras online nem fazem pagamentos de valor elevado com aquele cartão. Um dia está o meu pai no trabalho e liga-lhe o gestor de conta a perguntar se tinha feito uma compra num site sei lá de que país, num valor mesmo elevado na altura. Por sorte, o gestor teve essa consideração por achar aquela transação estranha e fora do habitual, senão as compras daquela pessoa tinham ficado caras aos meus pais!

    ResponderEliminar
  5. Wooow que situação Anne. Eu confesso que morro de medo de usar o Visa por causa disso. Acho que vou começar a andar com dez olhos.
    Mas ainda bem que tudo se resolveu. É o mais importante.
    lefashionaire.com

    ResponderEliminar
  6. Entao quer dizer que o dono do hotel em Atenas alem de te ter tentado enganar uma vez, ainda aprontou essa do cartao...mas que sujeitinho...deves estar-lhe com uma alergia..

    ResponderEliminar
  7. Nunca passei por isso mas já ouvi tantos relatos que deve ser por isso que ando sempre a ver o meu extracto...
    Em breve vou fazer uma viagem a Itália e acho que prefiro não utilizar o cartão de crédito e ir à "moda antiga" com dinheiro no bolso :D

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Cá em casa já aconteceu algo semelhante..Clonaram o cartão numa compra que fizemos online..até hoje não conseguimos perceber em que site, até porque costumamos ter bastante cuidado,mas foi um festim!!Resumindo as perguntas feitas pelo serviço do banco foram na mesma linha, apresentamos queixa na policia e o banco tambem nos informou que teriamos de pagar a divida até o processo estar concluido!Ficamos loucos e examinamos de uma ponta à outra todo o contrato do cartão.E lá estavam as letrinhas pequeninas que nos livravam da divida..Nossa!Não quero nem pensar

    ResponderEliminar
  9. aconteceu a um chefe meu e foi complicado de resolver!

    ResponderEliminar
  10. Bolas!!!!!
    Mas então....como fica a situação do senhor dono do hotel que estava faustosamente de férias????? Vai ter consequências certo????
    Beijinhos
    Sofia

    ResponderEliminar
  11. Já me aconteceu mas com cartão de débito, nunca fiquei prejudicado e só tenho a dizer bem do serviço da acabado nestas situações. Estive de férias em nova Iorque há uns anos, lá utilizei o cartão sem problema (inclusive, no segundo dia de viagem recebo uma chamada de um número nacional desconhecido, estavam a ligar do banco porque tinham detectado movimentos a partir dos EUA e queriam confirmar que era mesmo eu que os estava a fazer). Passado uns meses, voltam a ligar-me do banco porque tinha havido dois movimentos a partir dos EUA, não em NY mas noutro estado, e queriam mais uma vez saber se era eu que estava a usar o cartão. Disse que não e eles trataram de tudo, só precisei de ir a agência assinar uns papéis e num instante voltei a ter o valor na conta, cerca de 500€.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. qual é o seu banco? parece eficiente

      Eliminar
  12. Boa noite,
    Já aconteceu comigo, também pensei que poderia ter sido alguma compra minha, mas pelo valor...achei estranho, depois ficamos a saber que o cartão tinha sido clonado num site onde tinha feito compras e gasto nos países de leste. Apresentei queixa na GNR, e dei seguimento ao processo. Passado 3 meses e depois de ter pago a divida também me devolveram o valor. No final de 2015 a policia judiciaria telefonou me para saber se queria dar continuidade ao caso ou arquivar....arquivei............
    Vanda

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig