31 janeiro 2017

Dica // Centro de Oportunidades El Corte Inglês

Há tempos falei-vos rapidamente sobre o outlet do El Corte Inglês que fica no shopping Dolce Vita Tejo (na Amadora). Depois do post esqueci-me completamente do outlet e nunca mais lá voltei até esse fim-de-semana. Fui levar a Vi numa festa de anos na Kidzania e como estava mesmo ali ao lado (e tinha tempo) entrei para espreitar a loja.

É preciso carradas de paciência para conseguirem comprar algo de jeito ali, paciência que eu claramente não tenho. Roupas pelo chão, tudo pisado, peças sem etiqueta (ou com preços mal marcados), ausência total de vendedores pela loja (os únicos que existem estão nas caixas), filas enormes, enfim... a loucura de qualquer outlet que tem preços muito baratos.

Como não estava embuída do meu espírito "hoje-vou-enfeirar-a-grande", passeei-me apenas pelo início da loja e encontrei vários acessórios para o cabelo, todos a 0,50€ e de excelente qualidade. Os preços iniciais eram variados: 9€, 12€ e 15€. Achei irrisório, experimentei vários (agora com o cabelo mais curto, adoro usar bandoletes e ganchos, acho super giro) e escolhi estes:

A faixa em veludo azul é maravilhosa, tecido encorpado que faz quase de turbante, adorei mesmo! E as duas bandoletes em metal são para usar no verão, com cabelo de praia. Adoro! E fazem lembrar imenso umas pulseiras da Bimba y Lola, em formato de coral, que comprei no Freeport há uns anos. São muito bem feitas, num metal resistente e pesado, pelo preço que paguei estavam quase 'dadas'.

Até tive vergonha quando fui pagar as coisas e o funcionário disse "fica tudo por 1,50€...", daqueles saldos irrisórios mesmo. Se vissem a quantidade de gente que saía de lá com mega sacos, até assustava quem estava para entrar na loja hahaha. Já combinei com duas amigas de irmos lá com calma e tempo para escrutinar a loja de ponta à ponta no próximo fim-de-semana. A coisa promete! Já conheciam?
SHARE:

29 janeiro 2017

♫ pra ouvir em modo repeat #2

Uma amiga partilhou essa música no facebook e eu, curiosa, carreguei para ouvir. Que surpresa boa! É daquele tipo de música que adoro para relaxar, especialmente ao fim-de-semana. Doce, melodiosa, calma... Era o que eu precisava ouvir para terminar o meu domingo:

"Segura teu filho no colo, sorria e abraça teus pais enquanto estão aqui. Que a vida é trem-bala, parceiro, e a gente é só passageiro prestes a partir..."

Adorei!
SHARE:

Abram os olhos, minhas amigas!

Desde o ano passado, pela altura dos saldos de inverno, que reparo num mistério: os preços de determinadas peças online nunca correspondem ao preço da mesma peça na loja física (por norma, a peça online está sempre mais cara). Ainda achei que era 'cisma' minha mas novamente comprovo que tenho razão: comprar 'na loja' ainda sai mais barato do que comprar online. Noto que isso acontece especialmente com o site da H&M e da Zara.

Comprei um camiseiro branco na H&M, paguei 6,99€ (preço original: 24,99€) e gostei tanto da peça que ao chegar a casa fui ao site pesquisar se havia da camisa noutras cores. Qual não é o meu espanto quando vejo a mesmíssima camisa à venda no site por 16,99€? Exactos 10€ de diferença entre o que eu paguei na loja do Chiado e o valor do site. É injusto... querem tanto incentivar as compras online e depois deixam passar grelhas destas? Está mal.

Olho vivo nessas questões, tentem sempre confirmar o preço da peça em loja e no site, sob risco de comprarem mais caro e depois dar com a peça em loja pela metade do preço que pagaram (e que raiva me dá quando isso acontece!).

Já vos tinha acontecido? Eu já reparei que a Zara faz muito disso, para além da H&M.
SHARE:

27 janeiro 2017

Saldos // Anabelle by Michael Kors

Eu precisava de mais uma mala? Não, não precisava. Maaas (adoro essa palavrinha!) não consegui resistir aos saldos da Michael Kors (e como diz a música: "dinheiro na mão é vendaval...", especialmente dinheirinho que nos 'cai do céu')! Adoro as malas da marca e por norma aproveito sempre a altura dos saldos para comprar uma ou outra carteira mais cara que andava debaixo do olho.

Neste caso, o motivo que originou a minha visita à loja foi a troca da carteira que recebi no Natal (prenda do mano), cujo modelo não me convenceu por me despertar mixed feelings. Não sou fã de monogramas escarrapachados assim à descarada (acho coisa 'de pobre' hahaha) e apesar de ter adorado o modelo da carteira (especialmente o compartimento para o telemóvel), a estampa dos monogramas não me convencia, por isso lá fui trocá-la (já falei dela aqui).

Encontrei uma loja apinhada de malas com 50% de desconto e fui à loucura :D Ajudou ter apanhado o meu vendedor preferido (chama-se Lucas, é brasileiro e tem o poder de nos convencer a comprar a loja toda - é uma simpatia) por isso quando dei por mim já estava perdida de amores pela Anabelle.

A cor é um bege acinzentado (não tenho nada igual no que toca à malas) e achei versátil para usar em todas as estações do ano. O formato lembra um bocadinho a minha Greenwich (dá para usar fechar de duas formas, tipo envelope ou tipo saco), a pele é macia e tem um toque maravilhoso...

SHARE:

26 janeiro 2017

De vez em quando compensa ser maluca:

Quem acompanha o blog há alguns anos sabe que, no início de 2015 tive um enorme problema contributivo que originou a penhora da minha conta à ordem em 2000€. Para resumir a história: em 2012 trabalhei em part-time durante três meses a Recibos Verdes, passei apenas três recibos e esqueci-me (na verdade, não fui informada) de que era necessário cessar logo a actividade sob pena de gerar contribuições mensais na Seg. Social (125€/mês). Em 2015, primeiro ano de casada, fomos fazer o IRS em conjunto e o meu marido reparou que eu ainda tinha a actividade aberta (para meu absoluto horror) e concluímos que eu estava em maus lençóis. Fui às Finanças, disse que tinha por equívoco esquecido de fechar a actividade em 2012 e já estávamos em 2015, pelo que queria fechá-la imediatamente. A besta do funcionário que me atendeu cessou a actividade com data daquele preciso dia, Abril de 2015 (e não com a data retroactiva do último recibo emitido por mim em 2012) o que me originou uma dívida na Seg. Social de cerca de 2000€. Duas semanas depois tive a minha conta à ordem (conta conjunta com o meu marido) penhorada pela Seg. Social e foi uma novela mexicana para resolver a situação (mas ficou tudo resolvido na mesma semana). Podem ler sobre o assunto aqui e aqui.

Na altura em que ficou provado que eu apenas tinha que pagar apenas os 3 meses de contribuições à Seg. Social (e não dois anos e tal como eles pensavam), cobraram-me montes de juros e quando foi para pagar, por erro meu paguei 4 meses de contribuições (só tinha a pagar 3 meses). Assim que percebi o erro, voltei à Seg. Social do Areeiro e perguntei à funcionária como faria para receber aqueles 147€ que paguei a mais indevidamente. Respondeu-me: "Ah, você pode fazer um requerimento a pedir a restituição da contribuição mas está com enorme atraso, de mais de três anos... É pedir e esquecer, um dia receberá!" e eu fiquei passada com a resposta. A sério? Mais de três anos para receber algo que é meu e que foi pago por lapso? Como não havia outro jeito, em Junho de 2015 preenchi o requerimento a solicitar o reembolso do valor, indiquei o meu NIB e fiquei à espera que me enviassem o dinheiro, sem grande expectativa...

Passou-se o ano de 2015, passou-se o ano de 2016 e eu disse: CHEGA! Que vergonha vem a ser esta? Uma coisa é um atraso de alguns meses, agora um atraso de mais de 18 meses é o quê, senão um completo desrespeito pela vida das pessoas? Epá, felizmente é dinheiro que não me faz falta e que posso me dar ao luxo de 'esquecer' e abdicar mas porra, é dinheiro meu. Dinheiro que trabalhei para ganhar, que ganhei honestamente, que mereço, que me pertence. Mesmo que fossem 3€, é meu e NINGUÉM (muito menos o Estado, que nunca me deu nada) ficaria com ele!

SHARE:

23 janeiro 2017

Das coisas que só uma mulher entende...

Adoro jóias, como vocês já devem ter notado. Se saio de casa sem uns brincos sou menina para passar o resto do dia com a sensação de que 'me falta algo' e sempre a mexer nas orelhas, é incontrolável. Adoro pulseiras, fios, anéis... acho que os acessórios são fundamentais para complementar a nossa personalidade ao vestir. Dão aquele toque final :)

Desde o ano passado que não compro mais bijutarias porque não valem a pena para mim. Eu preciso de ter coisas duráveis, não sou nada cuidadosa (tomo banho com brincos e relógios, vou à praia/piscina com pulseiras e anéis) por isso se não forem em prata, aço ou ouro... não duram nem dois meses, escurecem e eu mando-os fora. Decidi que não compraria mais nada em bijutaria. Como não gosto de ouro amarelo (tirando a aliança de casamento, que já vos mostrei aqui), tudo o resto é em prata ou ouro branco. Sinto-me sempre 'aciganada' com jóias em ouro, não gosto mesmo nada de ver.

Por isso, quando um dos meus brincos preferidos (da Parfois) começou a perder a cor prateada e a ficar oxidado, fiquei louca atrás de um modelo igual mas em prata. Devo ter corrido as ourivesarias todas do Chiado (são sempre as mais baratas) e até mesmo as de shopping mas nada de encontrar um brinco parecido. Lembrei-me de uma ourivesaria da minha zona, onde costumava comprar umas coisas de vez em quando e lá levei o brinco de bijutaria para saber se conseguiriam fazer igual mas em prata. E conseguiram!

É pena que eu já não tenha o original da Parfois (que motivou a peça) porque entretanto ficou mesmo feio e deitei-o fora, mas garanto que a versão 'em prata' ficou igualzinho e perfeito. Mesmo como eu queria! 

Sou apaixonada por jóias com design minimalista, acho chique e invulgar. Esses brincos foram a minha paixão assim que os vi e tê-los em prata foi a cereja no topo do bolo, pois sei que estarão bonitos por muito tempo.

Não sabia que esse tipo de serviço era possível mas fiquei encantada! Pensei que seria algo caro, já que é feito à medida, mas nada disso, o valor é normalíssimo (se não estou em erro, paguei 35€ pelos brincos). A ourivesaria que me fez o trabalho foi a Elijóia e fica em Carnaxide (Oeiras). Têm peças giríssimas, completamente diferentes do que se vê noutras lojas e só não tenho ido lá mais vezes porque fica-me um bocadinho fora de mão, mas eles são impecáveis! Há uns meses também 'precisei' que me pusessem uma pérola num anel solitário (o anel era em prata mas a 'pérola' era falsa e estava toda descascada) e o anel ficou maravilhoso. Só costumo recomendar quando o serviço é de excelência e nesse caso, recomendo de olhos fechados :)

E agora fico muito mais descansada porque já sei que, se me apaixonar por alguma peça em bijutaria, facilmente consigo a versão 'em prata' daquela peça. Tão bom! 

-----
Ourivesaria Elijóia
Centro Civico de Carnaxide - Av. de Portugal, lote 7, loja 13
Tel: 2159307013
SHARE:

15 janeiro 2017

Aviso

[update: depois de dias de volta do blog - e de ter ficado muito insatisfeita com o wordpress - decidi regressar ao blogger. Sim, dizem que em equipa vencedora não se mexe e eu não me acertava com n-a-d-a do wordpress (o editor de texto é fraco, estou muito habituada ao blogger), por isso, nada a fazer... continuamos por cá, como sempre.]


Depois de alguns meses de indecisão (porque sou cagunfas e tenho medo daquilo que não conheço), decidi arriscar e vou mudar do Blogger para o Wordpress. Já era algo que tinha em mente mas ficava sempre naquela história do 'ahh, mas já uso o blogger há tantos anos..." e sempre achei o Wordpress um bicho de sete cabeças mas decidi que agora é que vai ser. Vou arriscar. Se for para mudar para melhor, pois que seja!

Por isso, amanhã (2ª feira) o blog sairá temporariamente do ar. Vamos andar 'em obras' por aqui (vamos é como quem diz... o meu marido vai, que é nessas alturas que sabe mesmo bem ter um gajo das engenharias informáticas) por isso só conto estar de volta lá para 5ª ou 6ª feira. Siiiim, tudo isso, que eu sou moça perfeccionista e até que tudo fique como eu quero, já sei o filme que vai ser (ou fica 'brilhando' ou então deito tudo ao ar e começo de novo #soudessas). A 'mudança' era para ter sido feita no fim-de-semana mas tivemos um problema no servidor (não me peçam para explicar, não sei o que se passou) e os gajos do suporte só trabalham de 2ª a 6ª feira (devem achar que ao fim-de-semana os sites vão todos de férias) pelo que só amanhã, 2ª feira, é que a coisa vai começar a aquecer.

Até lá, tentem não morrer de saudades, sim? Espero voltar com ideias novas e mais inspiração (ultimamente ando com menos vontade de escrever, pode ser que a mudança no estaminé me traga novos ares). E se entretanto tiverem dicas mesmo boas sobre o Wordpress (que plugins tenho mesmo de ter, etc) sintam-se livres para partilhar! Obrigada :*
SHARE:

12 janeiro 2017

A minha nova queridinha:

É linda, espaçosa, couro macio e brilhante, cor indefinida (assim um tom entre cor de tijolo e salmão) e eu estou in love por ela! Já andava de olho no modelo Le Pliage Cuir da Longchamp há quase dois anos mas na hora da compra acabava sempre por mudar de ideias: ou comprava outro modelo, ou ficava 'com pena' de investir na mala e desistia. Seeempre.

Mas uma paixão é uma paixão, ou seja, não se esquece. Uma pessoa bem pode tentar tirá-la da cabeças mas de vez em quando ela ressurgia em força. E reza a lenda que só fazemos 30 anos uma vez na vida, por isso... venha de lá essa mala e não se fala mais no assunto! Pronto, lá veio a menina comigo. Tão bem que ficámos nós as duas :)

A mala é super versátil, dobrável, cabe o mundo lá dentro (podem ver melhor a cor da minha aqui), é excelente para viagens. E pronto, acho que nunca mais a vou largar!

(entretanto tive que 'reformular' o closet e aumentar as prateleiras que reservei para as malas - já não cabia lá nem uma clutch, quando mais uma mala de verdade - então lá andei a trocar tudo de lugar sob o olhar aterrorizado do meu marido que suspirava: "estou tramado contigo, qualquer dia já ampliaste tanto o closet que vamos ter que dormir dentro de um roupeiro pax da Ikea" - os homens exageram tudo! Se ele soubesse as ideias que me passam pela cabeça quando olho para uma metade de parede 'em branco' que tenho no closet, aposto que tinha um fanico ainda maior. Só me apetece dizer: "Sabe de nada, inocente!" enquanto esfrego as mãozinhas de excitação.)
SHARE:

11 janeiro 2017

Da série: gente que me deixa de cabelos em pé! #2

Fui ao café comer uma torrada e um sumo. Cheguei ao café, fiz o pedido ao balcão e procurei com os olhos pelo Correio da Manhã que costumo ler enquanto lancho (aquilo é só desgraças mas alimenta a veia dramática que há em mim). Reparei que o jornal estava fechado numa mesa, onde uma rapariga estava sentada a beber café e a mexer no telemóvel.

Eu: Com licença, posso levar o jornal?
Rapariga: Ahh é que eu ainda não o li!
Eu: Ok, tudo bem. (e lá deixei o jornal).

Comi a minha torrada, bebi o meu sumo... e a rapariga nada de abrir o jornal, sempre agarrada ao telemóvel, com o jornal fechado em cima da mesa. Aquilo fez o meu sangue ferver! Quer dizer, não estava a ler o jornal mas também não queria que mais ninguém lesse - um jornal que é público, que pertence ao café! Achei um abuso.

Terminei o meu lanche, fiz o pagamento e sabia que não conseguiria sair dali com aquela situação atravessada. Aproximei-me dela, que ainda estava a mexer no telemóvel, e disse em alto e bom som:

- Olhe, para a próxima avise-me que vai ler o Correio da Manhã mas em versão online, no telemóvel, que é para eu não ficar à espera do jornal à toa. Obrigada. 

E fui-me embora, nem lhe dei chance de argumenta. Falta de civismo em último grau, xiça!
SHARE:

08 janeiro 2017

❅❅❅


SHARE:

06 janeiro 2017

Veterinários (ou aspirantes) cheguem-se aqui:

Eu vou fazer uma pergunta ridícula mas preciso mesmo tirar a dúvida: é possível que um cão esteja a 'dramatizar' uma determinada situação para chamar a atenção? É que desconfio seriamente que tenho uma drama queen canina em casa, senão vejamos:

Há cerca de um mês a cadelinha começou a fazer uns barulhos estranhos, como se fosse um engasgo ou uma tosse seca e acabou por vomitar duas vezes enquanto tinha esses acessos. Fomos ao veterinário e descobrimos que ela tem uma tal de Estenose Traqueal, que é uma espécie de estreitamento da traquéia, o que dificulta a entrada de ar e faz com que ela fique engasgada e acabe por vomitar. Pelo que vim a saber, é uma complicação bastante comum em cães de raça pequena/miniatura. A cadela é uma Bichon Maltês - era a mais pequena da ninhada - e não tem nem 3kg, é minorca, tipo cão à pilhas. Ficámos todos apaixonados por ela quando a fomos visitar ao criador e enfim, já não havia volta a dar. Ela já nos tinha escolhido.

(sim, a roupinha e o laçarote foram ideias da Vi porque 'é natal e ela merece vestir uma roupinha adequada à ocasião." Aham...)

Desde o dia em que descobrimos a Estenose que a minha vida não tem tido sossego. A cadela parece que ganhou ainda mais dificuldade em respirar porque agora todos os dias dá-lhe esses acessos de tosse/engasgo. Eu tenho para mim (é só uma teoria, obviamente) que a cadela está a brincar com a nossa cara e a 'exagerar' os sintomas para ter toda a gente à volta dela. Ok, eu sei que parece surreal mas é que antes de sabermos qual era a doença, ela só engasgava tipo uma vez por semana... agora são todos os dias! E assim que alguém vai pegá-la ao colo durante a crise de engasgo, ela fica imediatamente a respirar normal. Pá, a sério, eu falo isso para as pessoas e noto claramente que me olham como se eu fosse louca, tipo 'olha-me esta maluca, a achar que a cadela quer fazer drama..." mas posso jurar que a cabrona faz isso.

Eu já experimentei não ligar nenhuma enquanto ela tem os engasgos e ela continua a forçar a tosse até acabar por vomitar. Se intervirmos logo, ela não chega a vomitar e volta a respirar normalmente. É de enlouquecer! E a gaja tem atenção o tempo inteiro, não fica nunca sozinha (de manhã está a empregada em casa, de tarde tem a Vi que já chegou da escola, à noite chega a minha mãe... ao fim-de-semana ainda vem passar o dia na minha casa). A gaja tem a vida social mais intensa que a minha e ainda se põe a inventar e a fazer dramas. Eu não sei que técnica adoptar: ignoro-lhe? corro ao primeiro engasgo? Sei lá eu!
SHARE:

05 janeiro 2017

Sobre o tempo, esse bem tão precioso.

Uma vez ouvi de alguém que o melhor presente que podemos oferecer é o nosso tempo, que esse sim era um tesouro inestimável. Na altura era adolescente e lembro-me de pensar: "que treta de conversa..." mas conforme a idade chega (não se esqueçam que agora tenho trinta anos, sou uma senhora) e a maturidade também, percebemos que essa frase apesar de clichê é totalmente verdadeira: a melhor coisa que alguém pode nos oferecer é tempo: tempo para estar conosco, tempo para nos ouvir, tempo para gastar com quem mais amamos.

Na semana passada o meu marido perguntou o que eu queria fazer nos meus anos. Se queria apanhar o avião para algum lado, se queria viajar cá dentro, se queria ficar em casa... enfim, queria saber o programa das festas. Aqui a pessoa, em modo deprimida, respondeu que não queria fazer nada. Não queria viajar (está um frio do caraças, não me apetece sequer sair para trabalhar, quanto mais viajar), não queria grandes planos. Ele disse: "a sério? bem, então não vou meter nenhum dia de férias, assim ainda fico com 4 dias pendentes deste ano, para juntarmos aos 22 dias deste ano e viajarmos muito!".

Na véspera do meu aniversário, perguntei-lhe: "amor, o que vamos fazer amanhã?" e o homem responde-me calmamente: "nada... vou trabalhar e saímos para jantar depois." O QUÊ? "Como assim, não meteste férias no dia dos meus anos? Sabes que eu nunca trabalho nesse dia, gosto de fazer coisas diferentes..." e o homem nem sabia para onde se virar. "Mas disseste que não querias nada..." (homens... homens... uma vida inteira e nunca vão ser capazes de entender as nossas entrelinhas).

Amuei. Todas as minhas amigas absortas nos seus trabalhos, mamãe cheia de reuniões na empresa, era o primeiro dia de aulas da Vi depois das férias (e ela não queria faltar nem por um decreto), o meu irmão já estourou as férias todas e não podia meter mais nenhum dia... Que deprimência! Prestes a completar trinta anos, com a animação de uma ratazana de esgoto, e sem ninguém para compartilhar a minha dor. Fui dormir resignada e um bocadinho desiludida com todos, confesso.

Acordei às 11h com a minha mãe e o meu marido a entrarem pelo quarto adentro, a minha mãe com um mega tabuleiro de pequeno-almoço (e os meus croissants preferidos, ainda quentinhos), o marido ainda de pijama ("era brincadeira, meti o dia de férias"), embrulhos de presentes em cima da cama... foi uma festa. Chorei como uma madalena (sou uma manteiga derretida), tomei pequeno-almoço com as pessoas que mais amo nessa vida (depois mamãe teve mesmo que ir trabalhar) e passei uma tarde incrível com o meu amor: passeámos por Lisboa, fomos ao cinema (assistimos o 'Beleza Colateral' e só vos digo que o filme é incrível!), lanchamos no meu sítio preferido e depois fomos direto ao restaurante encontrar o resto do pessoal para jantarmos. Foi um dia em cheio! E é isso: a melhor coisa que podem me oferecer é mesmo tempo*. O presente mais especial de todos :)

E cada vez que me perco no azul dos teus olhos, de cada vez que olho para esse sorrisinho de canto de boca, cada vez que me abraças apertado e dizes que queres ficar comigo para sempre... de todas essas vezes, acho que consigo te amar um bocadinho mais. Contigo vivo o tipo de relação que sempre sonhei (e que nem sabia ser possível), contigo descobri que por mais chata e insuportável que possa ser a pessoa (no caso, eu), sempre haverá uma outra pessoa, praticamente um santo (no caso, tu) que irá aturá-la todos os dias. E amá-la como se não houvesse mais ninguém no mundo.

(obrigada, meu bem.)

* é claro que não sou hipócrita ao ponto de dizer que não gosto de receber presente nos meus anos (longe de mim!) mas receber tempo de qualidade... é outro nível! (para todas as outras coisas, existe Mastercard hahaha)
SHARE:

04 janeiro 2017

Conseguimos! ✔ (muito obrigada!)

[sobre isto]

Nem tenho palavras para escrever este post (mas vou tentar, prometo). Estou tããão feliz, tão mas tão grata a Deus e a todos vocês que ajudaram, partilharam, enviaram coisas, arranjaram contactos em maternidades e farmácias, estou meeeesmo de coração cheio! Transbordante!

O meu 2017 não poderia começar de uma maneira melhor: já conseguimos TUDO o que faltava à Joana para que ela tenha os seus bebés em segurança e com conforto! Graças à vocês, em primeiro lugar. Acho que nem tinha noção do alcance deste blog (recebi contacto de marcas infantis e grandes superfícies que queriam contribuir com fraldas, artigos de bebé, roupas) e foi uma enorme surpresa para mim saber que tanta gente (gente boa!) passa por aqui.

Tem sido difícil para mim gerir sozinha tudo o que vou recebendo (ando a fazer piscinas entre Oeiras-MargemSul para levar as coisas à Joana), especialmente porque o meu carro tem estado lotado de coisas e tenho cruzado a ponte praticamente de dois em dois dias para levar as doações. Na correria de entregar as coisas, tenho falhado em tirar fotos para vos mostrar (prometo corrigir em breve) mas sempre que consigo, lá saco do telemóvel e eternizo o momento. Tem sido incrível!

Temos roupinhas até os bebés completarem 2 anos, temos berços para gémeos, cómodas, cremes, toalhitas, pacotes de fralda, brinquedos, marsúpios, ovos, carrinho, absolutamente tudo que poderia ser necessário para uma fase inicial. Na semana passada recebemos uma carrinha cheia de coisas novas para os bebés, o difícil tem sido organizar tudo no pouco espaço disponível para já.

Não, ainda não há casa para eles. É mesmo a única coisa que nos falta de momento, andamos todos os dias em busca nos OLXs e Imovirtuais dessa vida mas todos os senhorios com quem falo pedem fiadores para arrendar a casa (nem a promessa de pagamento de 3 rendas como caução adiantou) e isso é a única coisa que não posso fazer por eles: não posso ser fiadora. O meu marido, em tempos, foi fiador de um familiar e a coisa correu tão mal que só resolveram o caso na polícia (já depois do meu marido ter andado quase 1 ano a pagar a renda ao familiar) por isso esse é o tipo de coisa que infelizmente não posso fazer por eles. Mas acredito que vamos conseguir encontrar uma casinha jeitosa para eles e que há de aparecer um senhorio mais flexível.

Nos entretantos, já temos médico para realizar o parto (que a princípio será uma cesariana), temos a maternidade orientada (e estamos a finalizar a mala dos bebés), a barriga da Joana está e-n-o-r-m-e (assusto-me sempre que a vejo, parece que anda a comer fermento ao pequeno-almoço) e não acredito que ela consiga manter os bebés 'no forno' até a data prevista (mas eu não percebo nada disto, é só a minha opinião a falar). Já temos número de contribuinte de ambos (pai e mãe), já demos entrada nos números da Seg. Social e cheira-me que falta pouco para terem a documentação toda em dia.

Falei com tanta gente nos últimos tempos! Sempre que alguém me dizia "olha, fala com fulano, que ele tem conhecimento no hospital XYZ, ou fala com essa senhora que ela trabalha na Loja do Cidadão", enfim, andei maluca a falar com gente que nunca vi na vida. E sim, meti cunhas neste mundo e no outro (dessa vez teve que ser) e confesso que foi só através das mesmas que a coisa se deu e algumas portas se abriram. Acredito que nesse caso os fins vão justificar os meios :)

De resto, estamos felizes, muito felizes. Quando a conheci e decidi ajudá-la, nem sabia muito bem por onde começar. Ela não tinha nada, nem um pacote de fraldas, era desesperador! Em um mês, conseguimos tudo o que é essencial para que as crianças venham ao mundo e eu só posso renovar a minha fé na humanidade: vocês fizeram um trabalho incrível, foram grandes, enormes! Muito obrigada!

[Vou retirar o destaque do post da barra lateral do blog e com este post encerro os pedidos de ajuda. Prometo partilhar os futuros acontecimentos convosco, tão logo os gêmeos nasçam venho cá contar e partilhar umas fotos da mãe e dos filhos. Até lá, continuem a torcer por nós!]
SHARE:

03 janeiro 2017

E de repente... 30!

Como é que isso aconteceu? Alguém que pare o relógio! 

Não gosto de fazer anos. Sinto-me sempre nostálgica e reflexiva, sinto-me a envelhecer (a sério?!), sinto que o tempo me escorre pelas mãos e que ainda há tantas coisas que quero fazer e, caraças, já tenho 30 anos. T-r-i-n-t-a. Como é possível? Sim, estou a bater um bocadinho mal com a chegada dos trinta, não nego. Fazer vinte e oito, vinte e nove... não custou nada. Agora fazer os fatídicos trinta, está meeeesmo a deixar aqui a pessoa em modo deprimida.

E como não sou nada dada a essas lamechices nem é do meu feitio andar a lamuriar-me pelos cantos (e caraças, foram 30 mas foram bem vividos!), vou passar o dia fora com o meu amor e aproveitar em grande o meu 3 de Janeiro. E aproveito para informar que não aceitarei qualquer comentário que mencione a palavra 'trintona', ficam já avisadas :P
SHARE:

01 janeiro 2017

Dois presentes especiais:

Existem duas coisas nesse mundo que me podem oferecer sem chance de errarem: viagens (escapadinhas, vouchers de hotéis, bilhetes de vôos, não sou esquisita) e... malas. Sou perdida por malas e acho que são um investimento para a vida (quando são de qualidade): duram imenso tempo, estão sempre perfeitinhas, conseguem dar um 'up' em qualquer look por mais simples que seja e o dia em que enjoar delas, vendo-as no OLX ou Ebay da vida e recupero uma parte do dinheiro (sim, já 'enjoei' de duas malas - uma CH e uma MK - e vendi-as no ebay por um valor mais caro do que quando as comprei, tinha comprado ambas em saldos). Portanto, é o tipo de investimento que nunca dá errado - já falei sobre isso aqui.

No natal tive a felicidade de receber uma mala linda da Coach e ando maravilhada com ela: é linda, cabe tudo lá dentro, não pesa nada... cheira-me que seremos inseparáveis!

Adoro este tipo de pele com tratamento 'pisoteado' que neste modelo em particular chama-se 'crossgrain' e é mais resistente do que a pele dita normal. Tem aspecto suave mas ao mesmo tempo é um material encorpado que dá forma e resistência à mala.

O meu modelo é o 'Stanton Carryall in Crossgrain Leather' mas já não o encontro no site da Coach. O modelo mais parecido será este e sei que existem em várias cores: preto, vermelho, castanho e bege.

SHARE:
© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig