04 fevereiro 2017

O meu amor pequenino...

Quanto amor pode caber dentro do meu peito? 

É a pergunta que constantemente me faço quando olho para ti. Quando oiço o som da tua risada, quando me abraças ou me chamas por alcunhas malucas que inventas... sei que a minha (nossa) vida não seria a mesma sem ter a nossa tartaruguinha por perto. É bem verdade que eu já tinha o Pê como irmão mas quando tu nasceste foi o coroar de um sonho. A minha bonequinha! Só minha, de mais ninguém! A irmã que durante tanto tempo eu pedi e que durante tantos anos foi sonhada, desejada... Foram anos de lutas, de fertilizações in vitro, de hormonas injectáveis, punção de oócitos, exames e mais exames, uma espera angustiante, uma gravidez cheia de sustos do princípio ao fim (não é a toa que tens um nome tão especial... feito à medida para ti, meu amor).

Fomos recompensados com uma miúda fantástica (é claro que eu sou suspeita para falar de ti mas) a verdade é que és muito mais do que merecemos (por favor, adolescência, não venhas cá descambar as coisas), és a melhor companheira do mundo, a minha cara-de-bolacha preferida. Olho para trás e parece que nasceste na semana passada mas caraças, já foi há tanto tempo! Vais ser sempre a nossa criança, mesmo que já não o sejas. É o que dá ser a última a nascer :)

Hoje desencantei o vídeo do teu nascimento e chorei como uma madalena. Passou tudo tão depressa! Por favor, tempo, abranda um bocadinho! Sinto-me uma espécie de 'segunda-mãe' na tua vida porque a nossa relação ultrapassa o elo de irmãos. Somos irmãs, sim, mas somos unidas pela alma. A minha e a tua, entrelaçadas. Para sempre.

Parabéns, minha princesa! Que a vida te sorria sempre e que todos os teus sonhos sejam concretizadas. Vamos sempre estar contigo, todos juntos e misturados. Amo você, tartaruguinha!

(eu não me posso pôr a ver vídeos destes que me sobe uma explosão de amor tão grande que só me apetece encher a casa de putos e começar a fabricá-los já! São mesmo o melhor desse mundo!)
SHARE:

10 comentários

  1. Parabéns para a Vi e para a família.

    Anne, sou a pessoa que te escreveu há uns tempos sobre as Trombofilias. Não tenho tido muito tempo para andar nas redes sociais, e já me perdi do post sobre o qual comentei. Antes de mais desculpa os erros, mas o bichinho só me envergonha, e uma pessoa escreve bem, e com a pressa nem revê e sai asneira da grossa.
    Sei que na altura deixaste o teu e-mail, mas não tive oportunidade de o guardar. Podes dá-lo de novo? Desculpa.

    Quanto às Trombofilias, tenta pesquisar um pouco, porque é um tema muito importante para homens e mulheres, e ainda mais para mulheres por causa da maternidade.
    As Trombofilias são uma condição genética ou adquirida que alteram a coagulação do sangue, fazendo com que o sangue tenha mais tendência para a formação de coágulos que provocam AVC's, TVP (coisa que já disseste que a tua mãe teve, certo?), embolias pulmonares. Nas mulheres, além de tudo o que disse atrás, também podem provocar abortos espontâneos, abortos retidos, mortes fetais em fases avançadas, partos prematuros, RCIU (bebés que nasçam com menos de 3 kg após às 37 semanas), perda de líquido amniótico e até infertilidade. E quem tem não pode tomar a pílula.
    Os exames às Trombofilias deviam fazer parte dos pré-concepcionais mas não fazem, e muitas vezes só à terceira perda é que fazem exames.
    Fala com a tua médica. Se quiseres procura o Dr. Jorge Lima que trabalha na CUF.
    Mas quem as tem, desde que devidamente medicada e acompanhada, a gravidez corre bem. A aspirina e a heparina fazem milagres e salvam bebés.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Daniela!
      Lembro-me desse comentário, sim! O meu email é anne@agarotadeipanema.com

      Ando sempre atenta, não uso pílula por causa do perigo de trombofilias e tento estar sempre atenta a qualquer sinal suspeito mas todas as dicas são bem-vindas!

      Um beijinho

      Eliminar
  2. Parabéns à Vitória! Que contes muito sempre rodeada dessa bolha de amor que só uma família unida consegue proporcionar.

    O vídeo é lindo e emocionante, nota-se o quanto quiseram esta bebé, até mesmo na fala do médico ao dizer: "está aqui a Vitória, muito bem obrigado, Deus abençoe..." arrepiei-me toda. E ela é linda, foi uma bebé deliciosa, deu vontade de agarrar ao ver o vídeo ;)
    Muitos beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelas palavras tão lindas!

      Pois é, a Vitória foi uma bebé extremamente desejada (veio na 4ª Inseminação Artificial quando já estávamos todos a perder as esperanças), foi uma gravidez de risco do princípio ao fim mas valeu tão a pena! Ela é o meu xodó :)
      Um beijinho

      Eliminar
  3. Tinha a sensação que a Vi já tinha nascido em Portugal.
    Muitos parabéns para essa linda.
    E já agora Anne, histórias dessa adolescência não há? Ela não se impõe já quando lhe compram roupas e assim?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, ela veio para cá quando era bebé, alfabetizou-se aqui :)

      Epá, histórias há muitas (quem não as tem) eu é que fico um bocadinho 'assim-assim' de publicar as coisas que ela faz/diz.

      Ela agora escolhe a roupa e sapatos, já tem cartão multibanco e quando quer ir às compras dizemos: "tens X para gastar", vamos só fazer companhia e dar alguma opinião, mas a palavra final é sempre dela (a não ser que seja uma compra muito bizarra, aí temos que opinar). Mas comparada à minha adolescência ou à do Pê, a Vi é uma santa digna de altar! :D

      Eliminar
  4. Muitos Parabéns para ela e toda a família! Felicidades!

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig