30 março 2017

O cliente pseudo-famoso:

Hoje aconteceu-me uma situação no mínimo caricata. Um dos clientes da empresa cometeu um 'engano' e enviou-me um email para ver se eu poderia dar um jeito e basicamente, consertar a cagada. Consegui remediar a situação mas não do jeito que o cliente queria (era de todo impossível) e hoje o cliente 'exigiu' falar comigo e pediu que a recepcionista me fosse chamar porque 'eu tinha que resolver a questão'.

Enquanto falava com ele e tentava explicar pela enésima vez o que já lhe tinha explicado por telefone e por email, o homem ficava cada vez mais enervado (e quando começam com estas merdas a mim só me apetece ser ainda mais inflexível - quer dizer, estou a fazer-lhe um favor e ainda vêm com exigências? Tá bem, abelha) e lá encerrei o tema com um 'pois, eu compreendo mas já fiz tudo o que estava ao meu alcance, mais não posso fazer, lamento."

Ele vira-se para mim com ar muito 'eu-sou-muita-bom' e dispara:

- Eu não sei se sabe com quem está a falar, provavelmente não reparou no meu apelido mas sou irmão do actor XYZ.
- Desculpe, eu não sei de quem se trata.
- Não vê novelas? Ele é um dos protagonistas.
- Não, não tenho paciência para novelas e, sem querer ofendê-lo, o apelido soa-me familiar mas não me diz nada.
- Ele foi capa da revista XPTO... (mesmo a insistir "olhem-só-como-o-meu-irmão-é-famoso")
- Pois, eu raramente leio revistas, por isso não sei quem é. (olhar escandalizado do cliente como se eu vivesse em outro planeta).

Juro-vos que não liguei o nome à pessoa numa primeira instância. É claro que depois fui a correr para a net pesquisar e confirma-se, o irmão é mesmo muito famoso mas... who cares? É por isso que devo abrir-lhe o mar vermelho como Moisés e passar por cima de todos os protocolos? Por que? Porque o irmão aparece na televisão em horário nobre? Faça-me o favor!

De todas as vezes em que ouvi a frase "sabe com quem está a falar?", o meu interlocutor era sempre uma pessoa insignificante que tentava 'ser alguém' baseado em: 1) sou rico; 2) sou famoso; 3) venho de família importante; 4) sou influente. E dá-me sempre um gostinho perverso em tratar esta gente como trato o comum-mortal: por igual, sem privilégios. (então se começam com a mania, aí é que faço meeesmo questão de ser 'neutra' e não há cá favorzinhos para ninguém, era o que mais faltava!)
SHARE:

27 março 2017

E mais sugestões?

Então é assim: aqui a menina gosta muito de viajar (não se nota mesmo nada, eu sei) e este ano estou um bocadinho 'limitada' em termos de viagens internacionais (tenho duas intercontinentais para fazer até Julho - medo! e uma de 12 dias pela Europa, por isso...) já só me restam os fins-de-semana e feriados prolongados para me pôr a andar e conhecer coisas por cá. A questão é que acho que já conheci tudo o que há de giro para conhecer (adoraria estar errada) e é aqui que vocês entram: que cidades, terriolas, vilas giras é que ainda me falta conhecer? Dêem-me sugestões, dicas, sou toda ouvidos. Entretanto e para servir de guia, deixo-vos a lista de sítios 'cá dentro' onde já estive (não é que me importasse de voltar, é só que preferia ir a novos sítios primeiro).


De Norte a Sul, já estive em: Ponte de Lima, Viana do Castelo, Braga, Gerês, Porto, Vila Nova de Gaia, Aveiro, Costa Nova, Águeda, Coimbra, Figueira da Foz, Fátima, Óbidos, Alcobaça, Caldas da Rainha, Guarda, Serra da Estrela, Seia, Leiria, Santarém, Évora, Arrábida, Setúbal, Grândola, Sines, Vila Nova de Santo André, Serpa, Moura, Pias, Porto Côvo, Lagos, Portimão, Albufeira, Faro, Tavira, Vila Real de Santo António, Sevilha ups, já acabou o país! :P

Não quero acreditar que já esgotei a cota de sitios giros, aliás, se há uma coisa que Portugal tem e que parece fonte inesgotável são as cidades encantadoras de norte a sul. Na minha lista para visitar tenho: Peniche e Berlengas (no verão) e Portalegre. Mais alguma sugestão?
SHARE:

25 março 2017

Ahhh os moliceiros!

São um caso de amor à parte. Eu ainda não tinha tido a oportunidade de ver esses barquinhos fofos ao vivo e foi das melhores atracções de Aveiro para mim! Tão genuínos, tão coloridos, tão divertidos... O capricho com que aquela gente enfeita e decora os seus barcos é de emocionar. E as frases matreiras? Todos os moliceiros têm assim uma 'sacanagenzinha' para apimentar as coisas e eu parti-me toda a ler alguns :D A maioria é bem inocente e com duplo sentido mas não deixa de ser engraçado!

É claro que tinha que andar num barquito destes (e depois ainda inventei de andar de tuk tuk - se é para turistar, vamos turistar em grande). Aveiro ficou-me mesmo, mesmo no coração. Amei a cidade e ouso dizer que depois de Lisboa, o meu coração é Aveirense :)
SHARE:

23 março 2017

Escapadinha // Costa Nova, Ílhavo


O fim-de-semana retrasado serviu para escaparmos até a Costa Nova, numa viagem que eu já queria fazer há tempos! Decidi tudo muito em cima da hora (decidi viajar na 5ª feira, para arrumar hotel para sábado, foi a loucura). Sempre quis ficar numa daquelas casinhas típicas da Costa Nova - os palheiros - por isso a procura do hotel perfeito foi algo complicada, mas lá se fez.

A Viagem // 
De Lisboa para Ílhavo são cerca de 270km (duas horinhas de viagem - com um parada pelo meio para abastecer), estava excelente tempo pelo que a viagem decorreu numa boa. O carro do meu marido é super económico (gastámos 30€ de gasóleo em toda a viagem, acreditam?) e uma pessoa tem vontade de fazer Portugal de uma ponta a outra de carro (eu adoro road trips!). Em portagens gastamos 35€ (ouch! 17€ para ir e 17€ para voltar) e o meu marido só dizia "xiii, que roubalheira! Estamos a gastar mais de portagem do que nos custou o vôo da nossa próxima viagem..." sim, é um facto. Também acho as portagens nacionais caríssimas mas é a vidinha, se uma pessoa quer se pôr à estrada, tem que pagar e mais nada.

O Hotel//
Eu adoro hotéis diferentes e típicos, fujo um bocadinho daquilo que é mais mainstream (para desespero do meu marido). Ele estava inclinado para o Meliã Ria Hotel & SPA, em Aveiro. Eu queria a força toda ficar na Costa Nova, adoro o charme das cidades pequeninas. Como não estava a encontrar nada de jeito por lá, fiz pré-reserva no Meliã mas sempre com expectativa de vir a encontrar algo 'fofinho' na Costa Nova e um dia antes da viagem, consegui! Ficamos no Costa Nova Hotel, que tem uma localização fantástica e um design que 'imita' os antigos palheiros de riscas. Por ser uma reserva de última hora, tivemos direito a um desconto e pagamos 50€/noite, o que achei bem razoável pelo conforto, localização, pequeno-almoço buffet delicioso e todas as comodidades do hotel. Com estacionamento gratuito à porta, andamos sempre à pé e só pegamos no carro para ir a Aveiro. Adorei e recomendo!


SHARE:

20 março 2017

20 de Março, dia da Felicidade:

Nem de propósito, estou a fazer algo que me deixa assim muuuuito feliz: arrumar malas


Pronto, a parte do 'arrumar' eu dispenso, não sou boa no assunto e apetece-me enfiar o closet inteiro dentro de uma mala de cabina mas diz que os senhores da Ryanair são uns chatos e que uma pessoa tem é que se contentar em levar meia dúzia de trapos (assim como assim, tenho que deixar espaço para os meus souvenirs).

Mas fica a ideia: o que mais me deixa feliz (a par das coisas óbvias: ter saúde e ter as pessoas que amo ao meu lado) é mesmo meter o rabo num assento de avião e ir descobrir o mundo!

(Só viajo no sábado mas como vou ter uma semana caótica em termos de trabalho, achei por bem deixar tudo orientado hoje. Okey, é mentira, quis começar a arrumar a mala hoje para saber 'o-que-é-que-me-falta-comprar' para a viagem e poder, ao longo da semana, voar na Zara e na H&M para buscar umas coisinhas giras e enfiar na mala. Ups!)
SHARE:

18 março 2017

Beleza // Novidades da MAC

Não ligo grande coisa à maquilhagem (quer dizer, ligo o mínimo para saber fazer uma maquilhagem básica e neutra para o dia-a-dia), fui abençoada com uma boa pele (a genética ajuda, mamãe aos 48 tem uma pele incrível), nunca fumei, não tive acne na adolescência, enfim... a minha pele nunca me deu chatices. No dia-a-dia utilizo um BB cream com factor de protecção 50, máscara de pestanas e um batonzinho para dar aquele up na boca. E só. Não tenho paciência (nem tempo) para muito mais.

E é precisamente nos batons que reside o meu encantamento. Adoro-os! Uma das partes do corpo que mais gosto é a minha boca e é claro que adoro deixá-la em destaque com um batom que faça a diferença. Os meus preferidos são os da MAC (porque existem em infinitas cores, porque as embalagens são lindas e são relativamente baratos - custam 20€) e quase todos os que tenho são com acabamento 'matte', adoro uma boca ultrapigmentada e sequinha, sem vestígio de brilho.

Há dias fui à loja do Colombo em busca de uma nova cor para a Primavera e voltei de lá com duas novidades (uma delas não tão novidade assim, mas passou-me totalmente ao lado na altura do lançamento):

Como sou fã de batons com fórmula matte (sequinhos nos lábios) muitas vezes até se torna difícil a aplicação caso eu não tenha os lábios bem hidratados e é uma das preocupações que tenho ao longo do dia: vou aplicando várias vezes o meu bálsamo labial (uso o da SVR, que só havia em França mas agora já chegou cá, é incrível!). Mas... faltava-me um exfoliante labial e a MAC lembrou-se disso e lançou o Lip Scrubtious para quem quer lábios sempre impecáveis!

O exfoliante vem num potinho que não acho prático de usar (ou aplicamos com os dedos ou com pincel) mas a textura e o cheiro são maravilhosos! Existe em mais 4 aromas e cores, mas escolhi o de baunilha porque fiquei viciada no cheirinho. Realmente noto os lábios mais lisinhos e macios, uso dia sim, dia não. Custou 17€. 
SHARE:

17 março 2017

Matei o bichinho e...

... fui ontem assistir ao filme da Bela e o Monstro, que acho que até me dava uma coisinha má se perdesse a estreia do 'meu' filme preferido da Disney. Sim, adoro o Rei Leão (é dos filmes mais fofos de sempre) mas nenhum bate o fascínio que a Bela e o Monstro desperta em mim. Amooooo!

Durante a semana não gosto de inventar saídas porque, regra geral, estou sempre com uma carga de sono descomunal em cima mas achei que a ocasião valia bem a pena. Comprei os bilhetes online na 4ª feira e ontem lá fui eu, toda airosa, assistir ao filme (que entretanto esgotou logo no Colombo e a sala estava lotada). Vale muuuito a pena, as músicas estão imperdíveis nas novas versões, adorei os cenários, tudo, absolutamente tudo. É impossível não reviver um pedacinho da nossa infância ao rever todas aquelas músicas. Sou menina para pegar em mim e ir vê-lo novamente no fim-de-semana. Tão bom!
SHARE:

13 março 2017

Do fim-de-semana:

Na 5ª feira enquanto ia a caminho do trabalho e recebia tooodo aquele sol maravilhoso que se fez sentir, pensei com os meus botões: "apetece-me passar o fim-de-semana fora, num sítio novo..." e lá fui eu mexer no telemóvel para descobrir que cidades bonitas tinham ficado na minha lista de 'sítios-para-conhecer-em-Portugal' e a verdade é que já conheço TANTO de Portugal (sem falsas modéstias, acho que já percorri o país de fio a pavio, de Ponte de Lima a Vila Real de Santo António) que já sobra pouco para conhecer.

Assim que abri a app no telemóvel, uma cidade saltou logo à vista: Costa Nova, seguida por... Aveiro. Sim, chicoteiem-me em praça pública mas ainda não tinha estado em Aveiro. Era a 'cidade grande' que me faltava conhecer... Sempre que estava em viagem e passava pela placa 'Aveiro', nunca tinha tempo para parar. O mais próximo que estive da 'Veneza Portuguesa' foi na viagem ao Gerês quando parei para almoçar em Águeda (mostrei-vos aqui).

Os hotéis no booking estavam cheios (já percebi que bastam uns raios de sol e sai tudo à procura do mesmo: escapadinhas de fim-de-semana, sabe tão bem!) e eu estava decidida a ficar num hotel na Costa Nova, que fosse ao estilo dos Palheiros, com riscas e toda aquela coisa típica... Na 5ª feira não encontrei nada mas na 6ª feira alguém desistiu de uma reserva no hotel que eu queria, então... foi perfeito!

Decidido que passaríamos o fim-de-semana fora, lá enviei sms ao marido a dizer que arrumasse as malas porque no sábado pela fresquinha rumaríamos a algum sítio no norte. Sim, sou dessas. Adoro ser imprevisível! :) A viagem foi maravilhosa, apanhámos uma Costa Nova cheia de sol (até parecia mesmo Primavera) embora com algum vento, comemos tãão bem, fomos recebidos por gente simples e atenciosa... e tirámos umas 500 fotografias, que se há coisa 'fotogrável' por lá são as casinhas de riscas. Um encanto!

(Assim que edite todas as 54534 fotos que tirei nesse fim-de-semana, faço um post com os detalhes da viagem, custos, hotel e dicas para quem quiser fazer uma escapadinha para lá.)
SHARE:

08 março 2017

A saga do bidé feioso.

A divisão da casa que eu mais detesto (talvez esteja em empate técnico com a cozinha) é a casa de banho da suíte. Meu bom Deus, aquela casa-de-banho me dá arrepios de pavor e deve ser das poucas coisas nesse mundo que me fazem refletir antes de comprar uma mala ou pagar uma viagem ("se não comprar isso e poupar esse dinheiro, mais depressa consigo comprar a casa dos meus sonhos e ME LIVRO daquela casa de banho dos terrores"). Sim, a coisa está nesse nível.

Não gosto do azulejo do chão, não gosto do tamanho minúsculo, não gosto de ter um bidé ali enfiado (quem raios usa um bidé nos dias de hoje? Mil vezes a ducha higiénica, o famoso 'chuveirinho' instalado ao lado da sanita), não gosto que a banheira não seja de hidromassagem (pronto, é uma mariquice que eu adoro e custa tão pouco que realmente acho uma estupidez não ter), não gosto da faixa de azulejo com lacinhos a meio da parede (já estive mais longe de comprar aqueles adesivos que imitam as pastilhas de mosaico e adesivar tu-do), enfim, aquela casa-de-banho não me desce pela goela, essa é que é.

De todas os defeitos mencionados acima, o que me mói o juízo é a raça do bidé. Já pensei em pedir ao senhorio para remover aquele trambolho (e assumir os custos da obra) mas o meu marido acha idiota estarmos a enfiar dinheiro numa casa que não é a nossa. Nessas horas penso em comprar logo a nossa casa mas aí penso: "porra, vinte ou trinta anos agarrada a um empréstimo?" e sei que isso não é vida para mim, morro de medo de dever, detesto juros bancários, sei lá eu da minha vida daqui a 3 meses, quanto mais 30 anos! E voltamos à eterna questão... o que fazer ao raio do bidé?

Pois bem, armada em decoradora-de-espaços-impossíveis-de-serem-decorados, lá fui eu comprar uma planta para enfiar na casa-de-banho (vi imagens no Pinterest e achei que a planta disfarçava imenso o bidé feioso). Comprei uma planta com cerca de um metro e meio (não era minha intenção comprar algo tão grande mas foi a mais 'real' que encontrei - e sim, é artificial) e espetei com a planta dentro de um jarro ainda provisório e tumbas, foi pro lado do bidé. Achei que super disfarçou e deu todo um toque amazónico ao espaço. Só que...

 ... o meu marido estava a trabalhar quando comprei a planta e a instalei na casa-de-banho. Ele gosta de tomar banho na outra casa de banho, que tem duche, só usa a da suíte de noite, para ir fazer xixi. Quando acorda de madrugada, costuma ir à casa de banho sem acender a luz, em modo piloto automático. Parece que foi fazer o seu xixizinho às escuras e apanhou um susto de morte com a minha plantinha. Só ouvi o grito de madrugada ("foooooda-se, que eu ia morrendo com essa árvore!"). Desculpaaaaa! :P

Já devem ter percebido que nós andamos num dilema sobre 'comprar ou arrendar' num futuro próximo. O assunto está em cima da mesa, especialmente porque pretendemos aumentar a família em breve e eu gostava muito de já estar na 'minha' casinha por esta altura mas depois faço contas e percebo que arrendar sai infinitamente mais barato (não há condomínio, não há IMI, não há seguros obrigatórios, não há empréstimos, não há obras de manutenção) mas lá está, fico condicionada a não poder fazer qualquer tipo de alteração no imóvel... Ahhh não sei o que faça, já me aconselhei com tanta gente e as opiniões são super divergentes (mamãe acha que devo comprar, o meu contabilista - pessoa em quem confio de olhos fechados para assuntos financeiros - acha que o melhor é arrendar, enfim...). O que pensam sobre esse assunto? Gostava muito de ouvir as vossas opiniões.
SHARE:

07 março 2017

(re)descobrir Lisboa // Palácio dos Marqueses de Fronteira

Já não sei bem quando foi (penso que terá sido no verão passado) que vi uma foto linda de um casamento na minha timeline do facebook, mas o que realmente chamou a minha atenção não foi a foto em si, não foram os noivos, nem o vestido da noiva... foi o local! Atrás deles, uma parede lindíssima com um mosaico de azulejos (adoro azulejos!) todo em tons de azul, fiquei maravilhada! Nos comentários, alguém perguntava onde era aquele sítio lindo e quando li que tinha sido no Palácio da Fronteira, imediatamente pensei "tenho que lá ir".

Tenho uma aplicação no telemóvel onde aponto os sítios giros onde quero ir em breve (geralmente, na minha cidade mesmo) e sempre que tenho assim um fim-de-semana mais calmo sem grande coisa para fazer, lá revisito a minha listinha e despacho alguma atracção. Pode ser um museu, um parque, um restaurante... ao longo da semana vou sempre descobrindo lugares que gostaria de conhecer e para não deixar escapar nenhum, guardo-os na aplicação.

No sábado passado estava sem planos para a manhã e pensei que era uma boa oportunidade de ir conhecer o Palácio dos Marqueses da Fronteira, em São Domingos de Benfica. Fui ao site, informei-me dos horários mas apanhámos um acidente na A5 e chegamos depois do horário de visita ao interior do Palácio (as visitas são marcadas e possuem horários restritos visto que o Palácio é, ainda hoje, residência da família) mas para não perder viagem decidimos explorar os jardins, que são lindíssimos! A visita ao interior do Palácio fica para a Primavera, quando os dias estiverem lindos e quentes (isto de fotografar no inverno não tem piada... está sempre nublado e sem sol).

Como é que eu nunca tinha ouvido falar nisso? Era a pergunta que ecoava na minha cabeça. Os jardins são fantásticos, os mosaicos são um espanto, quase que esqueci que estava dentro de Lisboa, tamanha a paz e o sossego por lá. Ah, e nem preciso dizer o quão fotogénico são os jardins, pois não? Num dia mesmo bonito, com sol e bom tempo, deve ser uma paisagem de cartão-postal. Quero muito voltar!
SHARE:

05 março 2017

As coisas que uma pessoa descobre!

No mês passado comprei dois brincos na H&M no rescaldo dos saldos, modelos tipicamente de verão e super chamativos (mesmo do jeito que gosto,vistosos). No verão adoro acessórios 'tchanam' por que regra geral ando muito básica (então de férias... é só vestidos brancos, calções e jardineiras de ganga e tops lisos). Apaixonei-me pelos brincos, estavam com precinhos supimpas e lá os comprei. São estes:


Então não é que descobri que os brincos turquesas estão super cobiçados e são vendidos a peso de ouro no Ebay? Eu paguei 4€ por eles (o preço original era 10€) e os meninos estão à venda no Ebay por 33€ + 20€ de portes (53€!). São descritos como 'raros, esgotados, última chance de os comprar' e eu só tenho vontade de cortar os pulsos ao lembrar que a loja onde os comprei ainda tinha vários pares... Era menina para ficar rica neste verão! Claramente o meu senso de oportunidade anda a falhar...

Sou suspeita mas... os brincos são meeega giros! Estou mortinha por estreá-los num destino exótico, já só imagino eu, o meu fato de banho branquinho (que fez sucesso nas Ilhas Gregas, três pessoas vieram me perguntar a marca e eu fiquei toda encavacada a responder), bronze nos píncaros e esse brincão lindo! Ahhh verão, será que ainda demoras muito?
SHARE:

02 março 2017

Das coisas que só acontecem comigo... #13

Imaginem a cena: Jantar em família (do marido - para que fique claro), montes de gente sentada à mesa quando um espírito de porco (epá, desculpem mas só posso classificar assim) vem com a pergunta: "então e vocês, para quando a visita da cegonha?" e eu lá sorri, o M. também e respondi que ainda temos tempo e queremos aproveitar a vidinha de casados em modo 'lua-de-mel' por mais um tempinho...  "Mas olhem que já vão para três anos de casados, já é tempo..." e eu ali entaladinha com um "opá e se calasses a merda da boquinha, isso é que já não era sem tempo..." mas pronto, é família do meu marido e tenho sempre que engolir alguns sapos de vez em quando para não envergonhar o meu homem.

Enquanto o M. respondia que estava nos planos mas não para já (a resposta politicamente correcta) e eu pensava que aquilo não poderia ficar pior... o que é que acontece? Uma prima do M., que estava na ponta oposta da mesa, exclama em alto e bom som "Ahh mas como a Anne não toma a pílula, qualquer dia vocês são apanhados de surpresa..." e eu só queria enfiar a cara no prato. A sério, meus amigos, vamos discutir métodos contraceptivos em pleno jantar de domingo? Assim que ouviu isso, o 'espírito de porco' que iniciou o debate, dispara: "Bem, quase três anos de casamento sem tomar a pílula e ainda não engravidaram? Vejam lá isso, é capaz de terem algum problema..."

Quão inconveniente pode ser uma pessoa? Eu não sei o que é suposto responder nessas circunstâncias sem partir para a grosseira e correr tudo as caralhadas, desculpem. Passo-me com este tipo de insinuações. Apeteceu-me responder: "Por acaso até engravidei três vezes durante esse tempo mas preferi abortar, sabes, ainda não estava preparada, não era o momento certo.." ou então "tens toda a razão, temos um problema: o teu primo é estéril, vamos adoptar uma criança". Eu não sei o que passa na cabeça dessa gente para nos alvejarem com este tipo de perguntas.

Sim, nunca tomei a pílula mas... utilizo outro métodos contraceptivos, como é óbvio. Tenho a sorte de ter um ciclo menstrual regular como um relógio suíço, por isso é até bastante fácil controlar as coisas, basta um aplicativo no telemóvel que nos indica o período fértil, o dia da ovulação (eu até sou daquelas mulheres que sente o exacto momento da ovulação - é um género de dorzinha que me dá na parte baixa da barriga e quando vou confirmar no aplicativo, tumbas, é o dia da ovulação), por isso não tem erro. E quando a vontade aperta (e o calendário diz que não é o dia), existe uma coisa chamada preservativo. Nem acredito que estou a falar disso no blog mas é para verem como as pessoas me levam ao limite.

Foda-se, vão cuidar da vossa vida. Manquem-se. Ahhh, que nervos!

(sim, estava entalada com isso desde domingo, se não escrevesse acho que tinha um AVC ou uma síncope nervosa. Ainda por cima estou com uma infecção de garganta, ontem fui parar na Cuf com 39 de febre... Mereço um desconto. Por favor, digam que vocês também têm amigos/familiares metediços e que eu não sou a única a pagar os meus pecados, vá lá...)
SHARE:

01 março 2017

Então e o carnaval?

Passou-se. Sim, conseguem notar daí a minha animação, certo? Foi bom para pôr o sono em dia, para cuidar do cabelo (fiz uma reconstrução poderosa, em casa mesmo), para mudar uns móveis de lugar (nem seria eu se não aproveitasse quatro dias em casa para andar a trocar tudo), pelo meio ainda fiz dois almoços cá em casa e recebi gente querida (nada me deixa mais feliz que ter a casa cheia de pessoas que amo!) e tratei dos últimos detalhes da nossa próxima viagem (marcar o hotel e finalizar o roteiro). Ontem fui ao Colombo fazer a manutenção das unhas (faço verniz-gel) e aproveitei para dar umas voltinhas e lamber montras. Pois.

 Calças // C&A (linha Clockhouse) + Camisola // Pull and Bear (aqui).

O saldo não foi de todo devastador: umas calças de ganga daquele modelo mais curtinho com bordados nos bolsos (okey, Vi, tinhas razão) e uma camisola aos folhos que já me tinha deixado in love no site (e mais ainda ao vivo). Já de saída, passei pela Worten para comprar um novo cartão de memória para a GoPro (estou cheia de vontade de fazer vlogs das nossas viagens, vamos ver como a coisa corre) e foi isto. Hoje só andei por casa a papar séries com o meu amor, naquele chamego tão bom de quem não quer que o dia termine...
SHARE:
© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig