30 abril 2017

Os queridos anónimos (sempre os mesmos):

No post anterior recebi essa pérola de comentário (e mais três ou quatro que achei por bem eliminar e vos poupar de tamanha imbecilidade):

Desenganem-se, não fiquei minimamente incomodada. Não é algo que me irrite mas não pude deixar de achar estúpido isto de apontar 'defeitos' às características físicas de alguém. Tenho rabo grande? Tenho, sempre o disse aqui no blog. Tenho mamas grandes? Eu diria que sou abençoada nessa área, já que visto uma copa C que preenche muito bem decotes e que é das partes do meu corpo que realmente adoro. Se sou mulata? Epá, há divergências, considero-me morena mas cada um interpretará consoante a sua escala Pantone de cores. Para uns posso ser morena, para outros negra e para a anónima, sou mulata. Também já me chamaram de indiana na rua, então, deixo ao vosso critério. Nunca vos disse que era loira de olhos azuis, pois não? :)

Quando somos felizes com aquilo que o espelho nos devolve... a opinião dos outros sobre nós é meramente cagativa. O que me choca no comentário é a vontade ferrenha de magoar, de menosprezar o outro ("não é nada de especial"), de querer atingir e claro, o tom racista do mesmo.

Vivo em Portugal há quase treze anos e já passei por 'n' situações de xenofobia e racismo que vão desde me perguntarem numa discoteca (após ouvir o meu sotaque carioca) quanto é que eu cobrava à hora (isto logo na primeira vez em que saí à noite cá, estava a viver no país há 8 meses) até o dia em que um professor na faculdade disse que a apresentação do meu trabalho tinha sido excelente e que eu era tão 'inteligente que nem parecia brasileira'. Yap, perante tooodo um auditório cheio de gente.

Se estas situações (e outras que nem vale a pena mencionar) não tiveram poder para me magoar (ao menos, não profundamente) não vai ser um comentário deste calibre que me vai irritar. Mas sim, é triste perceber que estamos em 2017 e ainda há gente que se preste para escrever alarvidades destas, infelizmente o ambiente da blogosfera têm estado cada vez mais preenchido com estes anónimos infelizes. É pena...
SHARE:

10 comentários

  1. Oh mulher caga para esses comentários parvos. A sério. Ainda por cima vindos de pessoas que não são capazes de deixar o nome...!

    TheNotSoGirlyGirl // Instagram // Facebook

    ResponderEliminar
  2. É realmente triste! E tenho muita pena que o meu comentário tenha desencadeado isso...

    Mas também fiquei com alguma pena de não me teres respondido :)

    ResponderEliminar
  3. Lol, fiquei + chocada c esse comentário do prof. Isso não se diz mm. As brasileiras têm fama de p*t*a, é invitável, apesar de , pelo menos as q conheço, é só mm fama.
    Enfim, tb me pareces mulata mas uma linda mulata.

    ResponderEliminar
  4. Anne, resumiste tudo nas últimas linhas de teu post: "anônimos infelizes". Ainda me faz confusão perceber que há pessoas que dão-se ao trabalho de vir cuscar, observar e ler posts, com o único objetivo de criticar, de menosprezar, de dizer asneiradas! Owwww, vidas vazias!!!! De certo que sentem-se um cadinho melhor em liberar suas amarguras!! Ainda bem que não te importas e fazes muito bem nisso! Dignos de pena!

    ResponderEliminar
  5. A mim irrita-me, e muito, saber que ainda há gente assim. Beijinho miuda, perante tal comentário aposto que és mesmo gira e jeitosa ;)

    ResponderEliminar
  6. Ora então resumindo o tal anónimo: tens tudo no sítio certo é ainda tens aquela características irritante ( que, doga-se de passagem os meus dois filhos também têm por herança paterna) que se caracteriza por um tom bronzeado na pele!!!!
    Irritante para muitos, de facto.
    Um beijinho grande e continua tu mesma.
    Sofia :)

    ResponderEliminar
  7. Anne, como se diz em bom português 'Incha, desincha e passa'.
    Se fosse comigo diria mesmo (e peço desculpa aos mais sensíveis): Chegou e disse, cagou e foi-se!
    Já não há paxorra para esta gentalha com dor de cotovelo!

    ResponderEliminar
  8. (Graças a Deus!) Tenho alguns ex-colegas brasileiros, que adoro!
    Nunca, por motivo nenhum os vi como menos, quando muito vejo-os como mais! O espírito, o humor, a cultura, a entrega ao trabalho!... Aprendo muito com eles, ainda hoje - porque a relação mantém-se.

    Mas sim, não era "anormal" termos chefias com frases com as que o teu Prof. te dirigiu... infelizmente.

    Beijinho,

    ResponderEliminar
  9. Que asquerosidade de pessoas; nem a nossa senhora das azeitonas consegue salvar-lhes as pobres almas.
    O meu namorado é brasileiro e também já teve professores que achavam que estavam a elogiá-lo com afirmações desse género que descreveste. Estas criaturas conseguem transcender os limites da paciência.

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig