09 junho 2017

O que eu mais fiz nesses 20 dias de Rio de Janeiro...

Comi como se não houvesse amanhã...

Só que teve amanhã e não foi uma coisa lá muito bonita de se ver. A balança acusa mais 3kg e sinceramente, dada a alarvidade de coisas que mandei pra dentro do bucho, até acho que o estrago não foi grande. Comia e pensava "Ah, quando chegar a Portugal esfolo-me de treinar e a coisa vai ao sítio". Aham... Meti a pata na poça com tudo a que tenho direito. Ah, pessoas, cinco anos sem ir na 'minha' cidade, senti que merecia matar as saudades dos meus pratos preferidos. E foram tantos!

Fanta uva de lata (que não há por cá, para minha tristeza), Guaravita (guaraná natural cheio de açúcar hahaha), Matte Leão, Água de Coco aos litros, Guaraná Kuat... e para azar dos azares, uma bebida nova chamada Skol Beat que uma prima fez questão de me apresentar. Vocês sabem que eu não bebo álcool, que detesto o cheiro e tenho uma tolerância mínima para bebidas. Pois bem, a raça da Skol Beat não tinha gosto de cerveja, não parecia sequer com cerveja e eu enfardei aquele troço... no meio de um baile funk. Sim, estava mortinha para dançar a sério e nada melhor do que funk carioca. O resultado foi devastador. A bebida tem 8% de álcool (quase o dobro de uma cerveja normal), então, imaginem o meu estado...

Desgraças à parte, aproveitei para comer todas as comidinhas que adoro: churrasco com farofa, pão francês com ovo frito de gema mole (viva a salmonella!), salgadinhos vários (bolinho de aipim com carne, enroladinho de salsicha, aiiii), strogonoff de frango, pão com linguiça do Alemão (os melhores!), empadinhas da Casa da Empada, brigadeirão, medalhão com arroz à piamontese do La Mole (é mara, melhor prato do muuundo), batata recheada, coxinha recheadíssima com catupiry, eu sei lá! Foi muuuito enfardanço e agora vou me ver grega para abater isso tudo antes da praia. Como se diz no Rio: "deu ruim" pra mim :D

Se tem uma cidade onde se come até sair comida pelos olhos, essa cidade é o Rio de Janeiro. Tudo é delicioso, tudo leva carradas de molhos, requeijão, queijo fundido, maionese de alho... misericórdia, Senhor! Não tem como escapar. Eu jamais conseguiria ser fitness por lá, não tenho a força de vontade necessária para resistir a uma montra de coxinhas hahaha.

P.S: Já comecei a preparar os posts com as dicas de viagem e o guia de compras pelo Rio de Janeiro. Mi aguardjem!
SHARE:

18 comentários

  1. Bom dia Anne!!! Só te queria dizer que vi Fanta de Uva no supermecado continente ��. Eu moro na zona do Porto mas acredito que também haja em Lisboa! Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ana Rita :)

      Eu sei que já existe Fanta Uva cá (passo a vida a consumir disto) mas estava a falar da Fanta Uva em lata (essa, infelizmente, não existe), eu tenho a 'mania' de achar que as bebidas de lata sabem sempre melhor :D

      Beijinhos

      Eliminar
  2. Também já vi por Lisboa a Fanta de Uva :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Existe sim :) Só não existe na versão em lata =/

      Eliminar
  3. tanta coisa que és evangélica e que Deus existe.. e afinal vais para um baile funk no Rio de Janeiro. LOL que hipocrisia.

    "Prega aquilo que vives."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porque toda a gente sabe que funk é pecado, claro.
      Ahahah
      Sai daqui, beata!

      Eliminar
    2. O comentário não faz sentido é verdade, no entanto ocorreu me que já conheci evangélicos que só ouvem música da sua religião e nada de outros estilos ou música de rádio. E talvez o comentário seja nesse sentido.

      Eliminar
    3. O que é que Deus tem a ver com o funk?!!!! Por favor, elucidem-me que essa parece ser uma falha grave minha (e não quero ir parar ao inferno.... não é que dance funk (já não tenho idade para isso! Mas pode dar-se o caso de acontecer também com a valsa, o corridinho, a kizomba, eu sei lá, e uma "´ssoa" tem que estar prevenida... é que nunca se sabe quando chega o dia do Juízo Final e, por causa dum pormenorzito, não teremos entrada no Céu. hahahahaha...)
      Oh, Senhor, perdoa-lhes que não sabem o que dizem!

      Eliminar
    4. Vamos só esclarecer uma coisa: eu sou evangélica mas não sou santa. Sou batizada, casei-me pela minha igreja, vou ao culto quase todos os domingos, dou o meu dízimo e sou imensamente feliz com a minha religião. Contudo... Há montes de coisas que eu não deveria fazer e que ainda faço. Não sou 'fanática', de vez em quando permito-me experimentar alguma coisa que tenho vontade (especialmente em férias) como foi o baile funk. Gosto de dançar, estava com a minha família, não vi mal nenhum, sinceramente.

      Eliminar
    5. Ainda faz?
      Anne nenhuma religião nos deve restringir ao ponto de deixarmos de fazer o que gostamos. Se gosta de funk qual o problema? Acredite, já conheci pessoas evangélicas que nem rádio ouviam por não ser adequado, que não festejavam natal e criticam quem o faz, que no Halloween nem saiem a rua....
      A religião é algo de muito bom, que nos pode guiar por um caminho de fé muito bonito, mas que a partir do momento em que entra nestes radicalismos perde toda a credibilidade.
      Mantenha se fiel ao que é, essa é o maior testemunho de Deus na sua vida ;)

      Eliminar
  4. cheiguei ao meio do post a salivar!

    ResponderEliminar
  5. Fanta Uva já existe há anos em Portugal. Em relação a todo o resto, com comida brasileira vale mesmo a pena estragar toda a dieta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estava a referir-me a Fanta Uva em lata, que não existe cá ainda.
      E tens razão, comida brasileira é maravilhosa (mas a portuguesa também não fica nada atrás).

      Eliminar
  6. Anne, este comentário não tem nada a ver com o post, desculpe.Mas, se não for incómodo, seria capaz de me dar uma informação? Quando a senhora sua mãe lhe comprou a sua Longchamp Pliage personalizada foi através do site da Longchamp francês? Pergunto não por curiosidade mas por uma dificuldade que estou a ter. Tentei comprar uma através desse site e faz tudo direitinho mas não me deixa alterar o país. Quer dizer, coloco o email, a direção concluindo com a indicação Portugal, sendo essa a morada que aparece para entrega mas como na indicação do país não consigo colocar Portugal (é fechada e já tem a França) receio que se efetuar a compra ela não chegue às minhas mãos. Sabe dizer-me se pelo facto da morada aparecer com a cidade, o código postal correto e PT no final é suficiente? Pelo que percebi foi presente da sua mãe e por isso deve ter sido ela a fazer a encomenda. Se poder e quiser (claro) e souber, poderia esclarecer esta minha dúvida? Ficar-lhe-ia muito grata. Obrigada.
    PS: Não se preocupe com dietas. Férias é para isso mesmo, para desfrutar. No resto do ano reparará os "estragos". Tem força de vontade (já o provou)e isso é bastante. Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Fernanda,

      Ela comprou através do site em Portugal (aqui: http://pt.longchamp.com/pliage/personnaliser/837/L1061837IT099) mas as malas são todas produzidas em França e posteriormente enviadas para cá. Através do site em Portugal consegues pôr a morada portuguesa sem qualquer problema :)

      A minha mãe fez a compra há mais de quatro anos, entretanto podem ter alterado qualquer coisa, não sei... Caso realmente não consigas, sugiro que ligues para a loja Longchamp do Colombo (as vendedoras são uns amores!) e elas certamente te ajudarão :)

      Um beijinho e qualquer dúvida, se eu puder ajudar, estou às ordens!

      Eliminar
    2. Obrigada Anne. Se tiver dúvidas ligarei para a loja do Colombo, sim. O número deve estar na net.. (não sou de Lisboa e aqui no Porto não consigo encontrar loja da Longchamp (sei que tem no aeroporto mas não comprei quando devia e... agora arrependi-me).

      Eliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig