22 setembro 2017

O que eu fui descobrir...

Já dizia a minha avó: "filha, tem coisa que é melhor a gente nem saber e viver na abençoada ignorância..." e ela estava bem certa! Aqui há dias comecei a ver um monte de gente (amigos/familiares brasileiros) partilhar um vídeo no facebook de um tal de Pabllo Vittar (que nunca tinha ouvido falar). Lá fui eu carregar na porcaria do vídeo... e a raça da música não me sai da cabeça! É que nem sequer é estilo de música que eu gosto (para começar, um travesti a cantar é coisa que por si só já me desmotiva), mas acho que existe uma regra qualquer que diz que quanto pior é a música, maior é a probabilidade dela ficar a ecoar no nosso ouvido por dias e dias... (lembram-se do Despacito? Já não a podia ouvir).

E pronto, mais valia era ter estado quietinha e não ter carregado no play mas a pessoa é curiosa. E agora passo o dia a cantarolar: "(...) vai passar mal, viro sua mente com meu corpo sensual, minha boca é quente, vem, não tem igual, tá todo carente..." Para o que me havia de dar, senhores!

(conselho de amiga: não carreguem no play!)

SHARE:
© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig