05 janeiro 2018

Da Maria-Casamenteira que há em mim:

É de conhecimento geral que tenho um irmão que é assim a coisa mais gira dessa Lisboa. Não sou só eu que o digo, é mesmo conhecimento geral (se ainda não sabiam disso, lamento por vós ahahah). O miúdo é giro, é divertidíssimo (existe qualidade melhor do que a de saber fazer rir? duvido), é mega companheiro, trabalhador, enfim... sou fã. Só que no que toca a relacionamentos a coisa é assim, digamos, desastrosa. Vá, tirando o último namoro em que a miúda é um amor e que passou com louvor no "teste" de aprovação da família, todo o resto é um grande #fail.

E eu, como irmã mais velha, pensei aqui com os meus botões: tenho que mexer uns pauzinhos..
Comecei numa busca incessante pelo "amor-da-vida" do Pê, não vá o gajo chegar aos 30 anos sem mulher à vista (e eu sem sobrinhos, isso é que não!). Como ele ainda tem 28, temos ainda dois anos para tratar de tudo :D

Vai daí que entrou uma colega nova no trabalho que "calça" o número dele. Gira, simpática, querida, solteira, em buscar de relacionamento sério, quer casar e ter filhos, tem conceitos familiares muito parecidos com os nossos (família em 1º lugar, sempre) e conforme o tempo passava e eu conhecia melhor a rapariga, mais certeza tinha que ela era a minha cunhada de sonho.

Um belo dia mostrei a foto dela ao meu irmão, assim como quem não quer a coisa "olha, já viste a colega nova lá do trabalho?" e espetei com a foto dela. "Uau, que gira!" foi a resposta dele. Pensei logo "bingo!" mas a verdade é que isso há tem duas semanas e não consegui avançar nem um milímetro.

Ela acha-o giro, ele idem... Mas não há maneira de promover um encontrinho entre os dois. As folgas de ambos não coincidem, nenhum dois dois quer dar o primeiro passo e estabelecer contacto (ela por achar que vai parecer que está "a dar em cima do filho da patroa", ele por achar que ela pode ficar constrangida por trabalhar na empresa da família dele, tipo assédio) e está tudo em águas de bacalhau. Estou aqui a pensar e não vejo solução!

Sabem quando vocês conhecem alguém e pensam que ela é a outra metade de uma pessoa? É esse o feeling que tenho quando falo com a rapariga. Tem mesmo tudo a ver com o meu irmão. A questão é... como juntá-los? Vocês que são espertas, dêem-me dicas!
SHARE:

8 comentários

  1. Jantar com amigos e convidas ambos, claro que não convém serem só vocês os quatro convém ser com mais pessoas, para não dar tanto nas vistas e não ser constrangedor para ambos. Depois eles que resolvam hahah

    ResponderEliminar
  2. E que tal o seu irmão passar mais vezes pelo seu escritório? E num desses dias irem almoçar os três? Não force demasiado senão assusta-os ;)

    ResponderEliminar
  3. Combinas um brunch/jantar/qualquer coisa com vários amigos para que se conheçam ;)

    ResponderEliminar
  4. Sim, um encontro com outros amigos em que convides os dois! ;)

    ResponderEliminar
  5. @naybasto - A comentar sem o perfil google....


    Festa/jantar/lanche da empresa? Convidas a entidade patronal toda, ou quase e apresentas o teu irmão à rapariga. São "literalmente" obrigados a dar dois bejinhos e vavavuuuum!

    ResponderEliminar
  6. Deixas as pessoas sossegadas?!

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig