26 março 2018

Custou mas já está!

Finalmente, após quase mês e meio de análises, estudos genéticos, consultas, exames de imagem e mais "n" coisas que o meu cérebro inventou (sim, que eu não descansei enquanto não fiz uma exaustiva análise)... finalmente a saga terminou! Já não tinha veias nos braços para serem picadas (de três em três dias lá tinha uma amostra de sangue para tirar...), já estava fartinha de tanta consulta, tanto aguardar, tanto tudo. Como diz a minha médica, a brincar: "não existe doente 100% saudável, existe é doente mal investigado". E ela tinha toda a razão: pelo meio descobrimos uma deficiência de Vitamina D (com valores miseráveis - mas entretanto já estou a corrigir com suplemento - e a torcer ansiosamente por dias de sol) e um quisto de retenção no ovário direito (ainda da gravidez) que me estava a deixar o ciclo todo maluco, mas que também já se foi embora :)

Foi um mês em que pouco ou nada escrevi por aqui - acho que vocês entendem o meu nervosismo (nunca antes tinha feito tantos exames e tantas análises... e o cagaço de vir a descobrir qualquer coisa? a hipocondríaca que há em mim ia falecendo) mas valeu a pena, estou tranquila, calma e muito aliviada por estar "em perfeito estado" segundo o meu médico. Aliás, saí daquele consultório a levitar de tão feliz que estava! Agora só quero me concentrar no futuro, o que passou já lá ficou para trás, estou tão grata a Deus por estar saudável e ter saído de tudo isso sem sequelas :)

E pronto, tudo isso para dizer que... vida que segue. E o blog retorna ao seu normal funcionamento (assim espero). Obrigada por ficarem deste lado à espera de dias melhores: eles chegaram, finalmente!.

(nota: se entretanto estiver alguém aí que tenha interesse em saber quais foram os exames/análises/estudos que fiz, é deixar nos comentários que eu faço um post a falar detalhes (laboratórios, preços, comparticipações, etc). Não sei se esse tema interessa, se mais pessoas estão nessa fase de "respostas" por isso, se precisarem, já sabem.)
SHARE:

23 março 2018

TAG | Confissões de uma viciada em malas!

Uma leitora enviou-me essa TAG por email (thanks, Sónia!) e achei muito gira a ideia, por isso cá vamos nós. Sim, eu sou apaixonada por malas e acessórios, acho que podem realmente ser "a" peça de destaque num look e ultimamente é das coisas que mais me dá prazer em comprar! Okey, é um vício um bocadinho caro mas melhor do que muitos que gastam dinheiro com tabaco, bebidas e afins, o meu "vício" é um investimento e um dia que me farte delas - ou que necessite do dinheiro - consigo uma boa quantia de volta (todos os anos o valor comercial destas peças aumenta e muito!). Por isso, para mim é mesmo um investimento :)


SHARE:

16 março 2018

Lar Doce Lar | a saga #1

Andamos a dar tudo por tudo na procura da "nossa" casa. O meu telemóvel parece uma bomba relógio, a qualquer momento explode com tantas chamadas de mediadores (sim, que eu andei a visitar tudo o que era Remax, Era, Century e o raio, devo ter deixado o meu contacto em tudo o que mexe).

E eis que finalmente, apaixonei-me por uma casa! Tem tu-do o que eu gosto: 3 quartos enormes (um deles suíte), wc no corredor SEM bidé (aleluia, irmãos!), cozinha estupenda com ilha, sala com lareira e varanda, roupeiro de apoio no corredor (importantíssimo para quem tem imensa roupa de cama e almofadões como eu), uma despensa enorme para deixar tudo arrumadinho, arrecadação no último piso com 22 metros e janela (sempre posso mandar para lá o marido quando ele me chatear muito), garagem, elevador e um mega jardim em frente ladeado por cafés. Pronto, se eu pudesse ter desenhado uma casa, seria algo muito parecido a essa. Só que... fica em Alenquer.

SHARE:

12 março 2018

Do despreparo desta gente.

Depois da experiência que tive com a perda do bebé (estou a escrever um post sobre o assunto, não sei é quando ficará concluído) percebi algo que me causou muita estranheza: as pessoas, especialmente as que trabalham na saúde, não estão preparadas para lidar com este género de perda. Não sabem o que dizer, falam asneiras até pelas orelhas, não têm a mínima noção ou preparo. Para terem uma ideia, fui ao centro de saúde (pela primeira vez nos últimos 5 anos) porque tinha o papel da baixa passado pelo médico do privado mas pensava que tinha que levar ao médico de família para ela enviar para a Seg. Social (perdoem a ignorância, esta foi a minha primeira baixa). Assim que cheguei ao centro de saúde e expliquei a situação, a funcionária do balcão ligou para o consultório da médica e disse à minha frente "pois, está aqui uma rapariga por causa de uma baixa... pois, não percebi bem... sim, foi um "desmanche" e a senhora tem uma baixa". Apeteceu-me filmar aquela merda. Um desmanche?! Um desmanche é o que se faz a um carro, para vender as peças. A minha situação não era um desmanche.

Depois que entrei para o consultório da médica, ela dispara: "ah, primeira tentativa e conseguiram logo? Têm toda a vida pela frente, são tão novos, vão ter todo o tempo do mundo..." como se o facto de sermos um casal jovem e termos engravidado à primeira alterasse o desfecho: foi um filho que perdemos, nada substituirá esse primeiro bebé. Eu devia estar anestesiada pela dor porque nem tinha força para falar, só chorava.

Dias depois, internada no Hospital da Luz, uma auxiliar diz: "sabe, triste mesmo é quando isso acontece a senhoras de 40 anos ou mulheres que estavam em tratamento de fertilidade... para elas é um choque..." Pois, imagino. E para mim deve ter feito cócegas, não foi nada um choque... Eu sei que as pessoas não falam por mal, que querem pôr panos quentes e amenizar o nosso sofrimento mas, por favor, parem! Não estão a ajudar, estão a desvalorizar a nossa perda, a fazer com que nos sintamos diminuídas no nosso sofrimento. Sim, para um médico foi um embrião de 7 semanas que se perdeu pelo caminho. Para mim e para a minha família foi um bebé que morreu, um neto que a minha mãe nunca pegou ao colo, um bebé que eu e o meu marido nunca vamos ver crescer.

Dias depois ouvi de alguém "ah mas tiveste sorte, a tua baixa foi paga a 100%". Sorte? Olhem, nem sei. Nem tenho palavras para a insensibilidade desta cena. Uma mulher que perde um bebé está fragilizada, está emocionalmente de rastos (eu fiquei), está apavorada com medo que a coisa se repeta (eu estou), já tem macaquinhos de mais na cabeça para ter que levar com frases destas. Se não sabem o que dizer num momento destes, por favor, calem-se. Essa coisa de "mas vocês são novos, vão ter mais filhos..." me dá náuseas. Já chega!

Nunca pensei, juro-vos que não. E o pior é que todas essas situações vieram da parte de mulheres, foram mulheres que me falaram estas alarvidades. Como é possível? Não sei.
SHARE:

08 março 2018

Comprinhas aleatórias #3

Nos últimos tempos tenho feito verdadeiros achados quando o assunto são "compras", muito se deve ao facto de estar com familiares em casa (vieram do Rio e estão cá de férias, querem conhecer to-dos os shoppings e outlets de Portugal), portanto, tenho me portado lindamente se pensarmos que passo os fins-de-semana em centros comerciais sob exclamações espantadas "Meu Deus, tudo aqui é muito barato... como você resiste?". É simples: não resisto :) Vá, quando são promoções meeesmo boas, não dá para uma pessoa deixar passar. Posto isso, reuni algumas das minhas últimas aquisições num post de compras aleatórias (tem roupa, sapato, gadgets, compras do ebay...).

Já estou no ritmo "querido-vou-mudar-de-casa" por isso não consigo resistir a comprar novas coisas para o meu lar. A começar por esse poster da Frida Kahlo (uma das minhas pintoras preferidas) em tamanho gigante (tem 1 metro de altura) que comprei por 5,99€ na loja Note do Fórum Sintra. Não conhecia a loja, entrei por causa de um objecto na montra e fiquei deliciada! Tem uma secção de posters (todos a 5,99€) com frases inspiracionais, paisagens, poster de filmes... uma perdição!

O caderno fofinho veio da Primark e foi um mega achado (de 5€ por 0,50€), confesso que comprei pela fofura da capa mas o interior é cheio de divisórias e têm o tamanho perfeito para andar comigo sempre na mala.

SHARE:

04 março 2018

10 coisas aleatórias sobre mim | as respostas!

Conforme prometido, hoje venho revelar quais foram as 4 perguntas que a maioria errou na tag "10 coisas aleatórias sobre mim". Cá vão elas:

Pergunta 1) Eu já mandei com as coisas do meu marido pela janela durante uma discussão: Verdade
Na altura ele ainda só era meu namorado (nem sei como teve coragem para me pedir em casamento depois dessa façanha) mas somemos a juventude dos 24 anos + uma mulher em TPM e temos o caldo entornado. Foi uma vez sem exemplo (que também não sou maluca para tanto) mas resultou lindamente, até hoje o moço arruma tudo bonitinho no seu respectivo lugar.

Pergunta 2) Eu já dormi num acampamento árabe no meio do deserto do Saara: Verdade
Foi em 2016 e era um dos meus grandes sonhos. Sou 1/4 árabe (pela família do meu pai) e tenho fascinação pela cultura deles. Na altura hesitei muito em organizar o tour pelo deserto porque tive alguns receios mas foi incrível, das experiências que recomendo a toda a gente! O céu do deserto não existe em mais lado algum, a sério! Contei mais sobre isso aqui.

Pergunta 3) Quantos irmãos eu tenho: 2 ou 4? Resposta Certa: 4
Pois é, essa foi das perguntas que mais erraram. Eu tenho 4 pequeno seres que partilham o DNA comigo, coisas mais boas da sua irmã. Sou a mais velha e tenho o Pê (que é filho do meu pai e da minha mãe), a seguir os meus pais divorciaram-se e ambos casaram pela 2ª vez. O meu pai teve 2 meninas, uma com 20 e outra com 18 (a de 20 está nesse momento a passar as férias da faculdade aqui em casa) e a minha mãe teve a nossa princesa, a Vi, que você já "conhecem" desde sempre. Mantenho contacto com as minhas 2 irmãs que vivem no Rio de Janeiro, temos uma excelente relação e nunca olhei para elas como "meias-irmãs" por não termos a mesma mãe. Tenho 4 irmãos, todos maravilhosos, todos irmãos a 100% para mim.

Pergunta 4) Se não tivesse tirado o meu curso, teria tirado: Medicina ou Moda? Resposta certa: Medicina.
Sim, eu sempre foi apaixonada pela área da ciência e quando vivia no Brasil fiz o vestibular (o nosso exame nacional) para Medicina, tendo entrado numa das faculdades do Rio. Duas semanas depois a minha mãe anunciou que nos íamos mudar para Portugal (imaginem o choque...) e não nos deu grande opção pelo que viemos atrás. Não me arrependo em nada, Portugal me deu mais coisas em 10 anos do que o Brasil me deu a vida toda, mas de vez em quando a "médica adormecida" em mim quer voltar à superfície hahaha. 

Pergunta 5) Quantos países eu já visitei? 15 ou 25? Resposta certa: 15
Também erraram muito essa pergunta e eu até compreendo, visto que nos últimos 4 anos eu viajei em média para 4/5 países diferentes por ano. A questão aqui é... eu só comecei a viajar para fora do país há coisa de 4 anos e pouco. A minha mãe é fã de viagens cá dentro de Portugal por isso nas férias de verão sempre íamos ao Algarve ou Espanha. Ela gosta de férias calminhas, em bons hotéis e sítios com praia e boa comida. Eu adoro museus, bater perna em grandes cidades, fico em hotéis simples... por isso só consegui viajar a sério quando casei (há 3 anos) porque o meu marido é igualmente louco por viagens como eu e para nós, o céu é mesmo o limite! Há nossa última viagem foi a Cabo Verde, há cinco meses e já tínhamos a Escócia e a Alemanha para, respectivamente, Dezembro e Janeiro mas com a perda do bebé cancelamos tudo e agora estamos totalmente focados naquela que será a maior viagem das nossas vidas (e essa não leva um carimbo no passaporte). 

Pergunta 6) Eu perdi a virgindade com o meu marido: Verdade
Uma ave rara? Talvez eu seja mas isto de começar a namorar aos 18 anos com aquele que viria a ser o meu marido tem muito que se diga...Foi mesmo à primeira!

Pergunta 7) Eu adoro gastar dinheiro em... Sapatos ou Carteiras? Resposta certa: Carteiras
Essa foi pergunta para queijinho, não? É claro que quem está atento ao blog sabe do meu amor por carteiras de design. Até gosto de comprar sapatos mas nada que me deixe tão fascinada como a compra de uma boa carteira. Acho que são um excelente investimento, já me fartei de umas quantas e sempre consegui recuperar o dinheiro que investi nelas (porque com os anos só ficam mais caras e nunca desvalorizam). Portanto, sim, eu sou a louca das malas! :)

Pergunta 8) Eu já gastei 1800€ em roupas e sapatos num único dia? Mentira
Mas vocês acham que eu sou doida ou quê? Quase 2000€ num único dia? Misericórdia! Nops, nunca aconteceu. Mas fiquei muito magoada por saber que vocês me julgam capaz de tamanha atrocidade :P

Pergunta 9) O meu maior sonho de consumo é: Uma mala Chanel ou construir uma casa? Resposta certa: construir uma casa
Essa também foi fácil acertar, já aqui comentei o assunto diversas vezes. O meu maior sonho de consumo, no momento, é mesmo construir ou comprar a cair de velho para reconstruir a minha casinha. Já tenho tudo na minha mente e ando a dar em doida com tantas pesquisas, agências imobiliárias e bancos com que tenho falado nos últimos tempos. Espero que esteja para breve! Quanto às malas Chanel, não tenho nenhuma e não lhes acho piada alguma. São demasiado "senhoril" para mim, apesar de serem um clássico que não me convencem.

Pergunta 10) Eu já fui pedida em casamento em Paris, de frente para torre e com um mega anel de diamante? Verdade
Sim, verdade. Foi um clichê, eu sei, mas adorei cada segundo. Paris é um sonho de cidade, das minhas preferidas em todo o mundo e ter sido pedida em casamento lá tornou tudo ainda mais incrivel. O meu marido (namorado na altura) pensou em cada detalhe, organizou tudo e foi daquelas coisas que uma pessoa jamais esquece. Amei e voltava a ficar solteira só para vivenciar novamente tudo aquilo. 

Para quem segue o blog há mais tempo, há cinco anos respondi à tag 50 factos sobre mim (podem ler aqui), hoje estive a reler as respostas e continua tudo muito actual e verdadeiro ;) Eu adoro este género de posts nos blogs que acompanho. Uma coisa é lermos blogs sobre assuntos diversos onde a autora não se expõe demasiado, outra é lermos posts assim tão pessoais e ficamos a conhecer um pouco mais sobre aquela pessoa. É tão bom, não acham?

SHARE:

02 março 2018

Da série "Coisas-que-só-acontecem-comigo"

No último natal recebi de presente a capa de passaporte personalizada da Louis Vuitton, com as minhas iniciais, com o interior em cor de rosa (ou não fosse eu pirosa até mais não), uma coisa linda de morte. Até partilhei convosco no instagram, na altura. Pois bem, acabei de derramar removedor de verniz em cima da capa. A sério! Como, senhores? Simples: estava a arranjar as unhas e o meu marido disse-me que o passaporte dele expirava dali a 3 meses. Eu pedi para ele ir buscar o meu, que já não me lembrava da data em que acabava a validade. Ele entregou-me o passaporte, eu confirmei que ainda faltavam 2 anos e tal para expirar e deixei-o ali, mesmo ao lado do removedor de verniz. Continuei a limpar o verniz e numa das idas ao pote de removedor, o desastre aconteceu: entornou imenso para cima da capa! Mandei um grito que deve ter sido ouvido em Almada. Fooooooda-se!

Corri para buscar toalhitas sem álcool (é o que utilizo para limpar o "canvas" da LV) e quando dei a primeira passada, parte do monograma ficou falhado. A sério, só a mim! Estou possessa! A capa custou o olho da cara e nem 3 meses de vida teve, coitada! Tem uma mancha mesmo por cima das minhas iniciais e não sei o que fazer... Estou farta de ligar para a Louis Vuitton mas ninguém atende ao telemóvel. Vou chorar, pessoas.

Alguém tem alguma ideia? Será que eles gravam novamente as iniciais? Ou as removem de vez? Porque essa coisa manhosa que ficou não é nem carne nem peixe. Que ódio!
SHARE:
© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig