16 março 2018

Lar Doce Lar | a saga #1

Andamos a dar tudo por tudo na procura da "nossa" casa. O meu telemóvel parece uma bomba relógio, a qualquer momento explode com tantas chamadas de mediadores (sim, que eu andei a visitar tudo o que era Remax, Era, Century e o raio, devo ter deixado o meu contacto em tudo o que mexe).

E eis que finalmente, apaixonei-me por uma casa! Tem tu-do o que eu gosto: 3 quartos enormes (um deles suíte), wc no corredor SEM bidé (aleluia, irmãos!), cozinha estupenda com ilha, sala com lareira e varanda, roupeiro de apoio no corredor (importantíssimo para quem tem imensa roupa de cama e almofadões como eu), uma despensa enorme para deixar tudo arrumadinho, arrecadação no último piso com 22 metros e janela (sempre posso mandar para lá o marido quando ele me chatear muito), garagem, elevador e um mega jardim em frente ladeado por cafés. Pronto, se eu pudesse ter desenhado uma casa, seria algo muito parecido a essa. Só que... fica em Alenquer.


Eu juro-vos que andei ali uns bons minutos a pensar comigo "epá, olha que Alenquer também não é tão fora de mão quanto isso..." num claro momento de insanidade enquanto o meu marido arregalava os olhos perante a minha loucura. O que é que querem? Apaixonei-me, tínhamos tudo para ser tão felizes juntas! Já me imaginava ali a fazer os meus jantares naquela ilha, o bebé a gatinhar pelos corredores, o meu marido na varanda a ler o seu jornal... Toda uma vida idealizada e de repente um balde de água fria. Não se faz.

As casas aqui na minha zona estão pela hora de morte! Nunca na minha vida que me vou entalar sei lá quantos anos (queremos em 20 anos e já estou com urticárias em pensar) para pagar uma casa de trezentos e tal mil euros! Nunca nesta vida. E em Lisboa então (centro de Lisboa) é para uma pessoa querer abandonar o marido e casar com o primeiro velhote rico que encontrar porque isto de "ser pobre" e querer abraçar o mundo com as mãos não está com nada. Nunca mais me caso por amor, está decidido.

Já começo a considerar outras hipóteses: Loures, Odivelas, Sintra e na loucura (meeesmo na loucura) o Montijo porque tem apartamentos fantásticos, acabadinhos de construir e fica a 5 minutos do Freeport (vá, estou a brincar). Tenho duas amigas que vivem lá e adoram, eu já morei lá na época da faculdade e odiei (autocarro, barco, metro, eléctrico - tudo para chegar à universidade) e jurei para nunca mais. Mas agora, com a maturidade (hahaha) e com outras prioridades na vida, pode ser que considere também essa zona. Não sei, estou por tudo.

Esta semana vimos um duplex com imenso potencial (tinha que fazer uma cozinha nova e duas casas de banho de raiz) mas tinha 145 metros quadrados, ficava numa zona fixe e tinha um mega terraço. O preço era muito bom mas era uma casa de banco, que outrora foi penhorada. Nas paredes dos quartos, pintado a preto com letras garrafais "Fui roubada!", "Fiquem com tudo!", "Perdi a casa da minha família, onde nasceram os meus filhos" e pronto, não tive coragem. Que atmosfera pesada tinha aquela casa, nem vos sei explicar. Eu não acredito nisto das energias, cargas e etc. Acredito que Deus é maior que tudo e se ficasse com a casa, pintava as paredes, fazia as minhas orações a Deus e assunto encerrado, vida que segue. Mas não consegui, mesmo. Tive tanta pena! É horrível, nem quero imaginar o que aquela mulher enfrentou e passou para chegar ao ponto de perder a casa de família.

Portanto, depois de semanas em busca, voltamos à estaca zero. E eu estou que já nem posso olhar para a minha casa actual, nem me apetece comprar mais um garfo que seja para ela. Só tenho vontade de desatar a encaixotar tudo e desmontar móveis. Socorro!

Sugestões?

(Obrigada pelos comentários no último post, faço questão de responder um a um, tão logo tenha um tempo livre neste fim-de-semana.)
SHARE:

31 comentários

  1. Montijo.. aconselho vivamente, apesar de ser cidade vizinha de Lisboa, tem a sua própria vida e apartamentos nao tao caros.. e também pode ser um investimento com o a aeroporto a vir aí ;) Alguma duvida diz

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Confesso que o Montijo seria mesmo a minha última escolha, apenas porque acho a ponte Vasco da Gama caríssima (e teria que passar por ela todo santo dia) porque faço vida em Lisboa, então não sei até que ponto o Montijo seria interessante. Adoro as casas e a estrutura dos prédios, são mesmo a minha onda mas também tenho que pensar na logística diária. Não sei, está tudo em aberto. E essa história do aeroporto... já estamos a ouvir falar disso há anos e nada sai do papel. Fico sempre a pensar: Será que vão mesmo construir?
      Obrigada :)

      Eliminar
    2. Também a atravesso todos os dias, o que me fez deixar os transportes foi mudar o meu carro para GPL, deixei de demorar 1h20 ate ao trabalho para demorar 30min e sai mt mais em conta.

      Eliminar
  2. Acho no mínimo estranho que um casal que já demonstrou pelo que afirmas aqui que ganha bem acima da média e que tem dinheiro para varias malas, acessórios, etc de 500€ para cima, não consiga pagar uma casa de 300 mil em 20 anos. Eu e o meu marido ganhamos 1300€ limpos cada um e comprámos uma de 240 mil com empréstimo a 5 anos (demos 70% de entrada e gastámos as nossas poupanças, pagamos de prestacao o que pagávamos de renda).

    Dito isto, acho que jamais encontrarás uma casa com as areas/caracteristicas que queres e ao preço que queres em zonas centrais, porque isso simplesmente não existe. A nossa é mesmo no centro de Lisboa, t3 e tem 85m2, queremos ter apenas um filho e não nos importamos de viver num apartamento mais pequeno em troca de ter tudo à mão, não usar carro durante a semana e demorar 10min a pé para o trabalho. Mas se procuras uma coisa assim mais megalomana, cozinhas com ilha, garagem, etc... a menos de 300mil só mesmo em Alenquer ou algures a 1h de carro de Lisboa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá,

      Aqui a questão não é "não conseguir pagar uma casa de 300 mil" é simplesmente não ter vontade de investir tanto nisto. Eu já tenho 2 imóveis próprios no Brasil. Os meus sogros têm duas casas pagas, uma em Lisboa e outra no Alentejo. Ou seja, no futuro, já vamos ter casas a mais então não me apetece andar a "penhorar" a minha vida, o meu conforto, as minhas viagens, as minhas compras, os meus restaurantes... para andar a pagar um balúrdio por mês de casa. Não quero mudar o meu estilo de vida, quero uma casa que se adapte a nós e não o contrário. Gasto neste momento 400€ de renda numa casa super confortável mas cuja renda é da época do Marquês de Pombal (graças a Deus) mas sei que mais dia menos dia o meu senhorio vai aumentá-la (já o devia ter feito há anos mas adora-nos) e 400€ é o limite que estou disposta a gastar com o factor "moradia". Seja arrendada ou comprada. É um valor super confortável, conseguiríamos viver só com o ordenado do meu marido e poderíamos poupar todo o meu salário, se assim quiséssemos. Vamos ter filhos em breve, não sei a despesa que virá daí (certamente não será pouca) logo, não me quero comprometer com empréstimos elevados.

      Nunca quis viver no centro de Lisboa, acho um caos total, aliás, noutro dia vi um T2 em Alfama por 650 mil euros e desatei a rir. É que nem que me pagassem eu vivia ali. Sempre vivi fora do centro mas a distâncias de 20/25 minutos de carro: Oeiras, Alfragide, Carcavelos, etc... E adoro essas zonas mas são caras e para o que estou disposta a pagar, não encontro nada de jeito. Mas tenho tempo, não me vou é enfiar em maus negócios por ter pressa, isso é que não.

      Não acho que desejar uma cozinha com ilha e uma garagem sejam coisas megalómanas, são apenas detalhes que importam para mim. E se a cozinha não tiver ilha, pois que é certinho que vou fazer obras e vou pôr. Não custa tanto como parece e há montes de ilhas em promoção nos AKIs e Leroys da vida. Basta é procurar :)

      Eliminar
    2. A questão é que, se tivesses poupado, não estarias a "penhorar a tua vida" ou a abdicar de outras coisas em detrimento de uma casa de 300 mil, porque terias esse dinheiro de parte (ou uma boa parte dele, que te permitisse fazer um empréstimo menor), o que me parece que seria perfeitamente possível dado o nível de vida que demonstras ter. Até podes ter esses imóveis no Brasil e outros em Portugal que ainda pertencem a familiares, mas a questão é que tu e o teu marido sempre precisarão de uma casa para viver no imediato, por isso é um gasto que sempre terás de ter.

      O centro de Lisboa não é só Alfama/Mouraria/Baixa/Chiado/Cais do Sodré que, essas sim, são zonas com muitos turistas e movimento diário e nada boas para viver. Tens Avenidas Novas, Entrecampos, Campos Pequeno e Grande, Alvalade, Avenida de Roma, Penha de França, Bairro Azul, tudo zonas óptimas, no centro e onde à noite/fim-de-semana parece que estás numa aldeia (tudo calmíssimo, mas cheio de serviços à mão). Vivo numa dessas zonas e adoro. Não te esqueças que entram 300 mil carros diariamente em Lisboa, fora das horas de trabalho esse centro fica bastante calmo.

      Outras zonas mais "fora", mas ainda centrais, tens Alcântara, Algés, Belém, Telheiras, Quinta das Conchas, Lumiar, Marvila, Braço de Prata.

      Eu pessoalmente odeio conduzir, odeio trânsito, acho que é dos tempos mais mal gastos e stressantes da vida e nunca optaria por uma casa em que eu tivesse de diariamente conduzir 30min para o trabalho (isso sem trânsito, porque com acidentes e assim é muito mais). Mais o gasto que isso implica. Prefiro o investimento de viver no centro e andar a pé/transportes/uber para todo o lado e só ao fim-de-semana andar de carro, não ter trânsito e estacionar grátis nos sítios. Tenho uma colega que vive em Carcavelos e demora 1h para cada lado todos os dias a vir para o trabalho no centro de Lisboa de transportes (comboio+metro). Esse tipo de deslocações que tens de fazer todos os dias/5 dias por semana/22 dias por mês/sei lá quantos anos da tua vida, para mim têm de ser o menos demoradas possível, implicar poucos gastos e dar para rentabilizar com passar em sítios onde dê para tratar de coisas (supermercado, farmácia, lavandaria, etc). Por isso 15min no máximo a pé é o aceitável e não troco isso por nada (e felizmente não implicou gastar 300 mil, consegui por 240).

      Mas pelo que dizes do estilo de casas que gostas, dificilmente nessas zonas centrais vais encontrar. Porque são maioritariamente prédios do início do século passado renovados/por renovar. Eu adoro, o nosso prédio é de 1935, tem um pé direito alto (uns 3m), tectos trabalhados nos cantos e no centro, aquele aspecto clássico mas depois todo renovado e moderno (chão de madeira "tosca", casas de banho e cozinha com materiais óptimos, etc. Adoro esse contraste do novo/antigo. Mas não tem ilha, nem aspirador central, nem aquecimento, nem nada dessas coisas novas.

      Eliminar
  3. Eu comprei uma casa há poucos meses perto do Montijo. É um T3 novinho em folha, num prédio com elevador, uma varanda gigantesca, tudo muito moderno, dois wcs, sótão por cima e garagem. Custou 150 mil. Eu amava viver em Lisboa, mas tive que chegar a um equilíbrio. Vou todos os dias para o trabalho e demoro cerca de 40 minutos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aiii as casas no Montijo, são tão giras! Já lá fui ver duas e tem todas aquelas mariquices que uma pessoa ama: estores aquecidos elétricos, som ambiente em toda a casa, hidromassagem, sotão com aproveitamento... eu fico a babar. E os preços vão de 130 a 160 mil por um T3 o que é fantástico. Tenho que pensar nisso, apesar do desgaste diário que deve ser para ir trabalhar, talvez compense (aos fins de semana é que é :)
      Beijinhos e obrigada pelo comentário.

      Eliminar
    2. Sou a a anónima de cima. Por acaso não sinto desgaste diário, gosto até da sensação de poder conduzir aquela meia hora até ao trabalho e depois a voltar. Sinto que consigo desligar, apreciar mesmo. O que mais me custa são mesmo os gastos com gasolina e a ponte. Mas como nunca conseguiria ter uma casa assim mais perto por este preço acho que acaba por compensar. Gasto cerca de 150€ em idas e vindas e cerca de 400€/mês por esta casa. Onde é que ia encontrar algo por 550€/600€ em Lisboa ou mais perto?

      Eliminar
    3. Anónimo17 de março de 2018 às 13:03 no centro de Lisboa encontraria "facilmente" um t1 ou t2 por 150 mil para renovar, onde gastaria mais uns 50 mil nessa renovação. Não era um t3 novinho em folha com elevador e garagem, mas estaria a viver no centro :) e conseguiria uma prestação de 550€/600€ sem problema (tenho um amigo que comprou um t1 grande em Campolide por 220 mil, prédio recente com garagem e paga sozinho 500€ de prestação).

      Eliminar
    4. Sou só eu que penso que, viver no centro de lisboa pode ser bom quando se trabalha e tal, mas que na velhice deve ser uma treta?
      Acho q se a Anne encontrar A Casa, não lhe vão custar muitos esses Kms a mais :)

      Eliminar
    5. A questão é que uma pessoa trabalha uns 45 anos da vida :P ainda é um bocado longe, mas eu e o meu marido comprámos no centro e achamos que até lá os preços vão aumentar ainda mais, então que nos reformarmos vendemos com lucro e compramos uma casinha no Alentejo ☺️

      Eliminar
    6. 500€ de prestação por uma casa de 220 mil? Só se demorar uns 100 anos a pagar...

      Eliminar
  4. Olá Anne.
    Vivi durante 25 anos no outro lado da margem.
    Juntei me com o meu namorado e ele já vivia em Alcabideche ( pertinho do cascaisshopping).
    Se eu disser que enquanto vivi do outro lado me irritava todos os dias com o trânsito da ponte ( às vezes até a Vasco da Gama estava um caos).
    Montijo as casas são ótimas e os valores bem mais baratos mas é estar preparada para fazer a ponte duas vezes por dia e quando tiveres crianças, se a criança estiver no infantário no Montijo, ligam te e dizem que a tens que ir buscar porque está com febre e tu apanhas algum acidente na ponte, demoras imenso tempo a lá chegar e aseguir tens que ir com ela para o hospital, em Lisboa? O quanto cansativo será?
    O Montijo e bom para viver no caso de trabalhares na margem sul ou não teres que ir para Lisboa todos os dias. Se tiveres possibilidade, está margem está mais acessível a tudo , ainda q muito mais cara. Mas pondera. Eu trabalho em Oeiras e o facto de as vezes a hora de almoço ir à casa e chegar em 10 minutos acho uma benção, pois se continuasse do outro lado da margem nada poderia fazer.
    Não sei se conheces está zona ( Alcabideche ) mas é muito tranquila e acessível a tudo: escola, hospitais, supermercados, cascaisshopping, parques infantis. Gosto muito!!
    Boa sorte com a escolha da casa e espero q não seja necessário venderes um rim para poderes continuar a ser feliz aqui

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá,
      Conheço Alcabideche, vivi pertinho em Carcavelos e na época o infantário da minha irmã era em Alcabideche. Lembro-me de ver muitas vivendas e poucos prédios, mas era relativamente perto de Lisboa e sempre tinha o comboio como apoio num dia em que o carro me falhe. E no verão é pertinho para as praias :)
      Nem me tinha lembrado dessa zona, vou averiguar.

      Muito obrigada pela dica!
      Beijnhos

      (vender um rim está mesmo fora de questão, alguma vez eu faria essa loucura? Quero uma casa, não uma dívida eterna, Deus me livre!)

      Eliminar
  5. Isso das paredes escritas é tão cinematográfico que só acredito vendo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, eu quanto isso só posso lamentar a sua incredulidade (se não acreditas no que eu escrevo, qual o sentido de continuar a passar por cá?).

      Se queres comprovar, dou-te a morada da imobilária e vais lá pedir para fazer uma visita à casa, boa? É que eu infelizmente não me lembrei de fotografar a bizarrice que ia por ali afora, de tão aflita que fiquei. Se não acredita, o problema é todo seu.

      Eliminar
    2. Entretanto, para colmatar a sua curiosidade:

      https://4.bp.blogspot.com/-jVus9KchcsM/Wqz-Sucwd0I/AAAAAAAAVCQ/8rW1F53X850DA7PXSvqy1hjFXTR3SWXjACEwYBhgL/s1600/aqqqq.PNG

      https://1.bp.blogspot.com/-KToMX9qoQPk/Wqz-TCuSFtI/AAAAAAAAVCU/Q60QxWIsAP06NRbBCpxNmxPjIjgFgGA3gCEwYBhgL/s1600/qqqaaaa.PNG

      (se entretanto tiver interesse em ver mais cómodos da casa com frases queridas, é só enviar um email que envio a morada do imóvel para a querida poder verificar em pormenor e ao vivo.)

      Eliminar
    3. Espero sinceramente que está falta de educação se deve as hormonas. Porque não me lembro de ter sido mal educada consigo. Disse algo que me pareceu normal. Cuide-se porque está a ficar cada vez mais nariz empinado, e o dinheiro compra tudo menos a falta de nivel que a Anne tem revelado.
      Sorte para si.

      Eliminar
    4. Falta de educação é vir a um blog insinuar que a autora mente nos posts. Não admito este tipo de comentários, lamento se não gostou. Isto aqui não é a casa da mãe Joana, se são livres para comentar o que querem também têm que estar preparadas para as respostas. É uma via de mão dupla.

      (e como se viu, estava errada na sua insinuação maldosa. Nem um pedido de desculpas fez. E eu é que sou nariz empinado? Hahahaha)

      Eliminar
    5. [não gaste o seu tempo a continuar a responder, para mim o assunto está mais que encerrado, tenha um excelente fim-de-semana]

      Eliminar
  6. Olá Anne. Nunca comentei por aqui, apesar de já a seguir há algum tempo, por me identificar bastante consigo.
    Não sei se conhece o Pinhal Novo, sobretudo a zona do Vila Serena. Literalmente, está tudo à mão, boas infra-estruturas, excelentes acessos (o acesso para a Ponte Vasco da Gama fica a cerca de 500 metros, bem como os acessos à AE principais). Boas zonas verdes, circuitos de manutenção...
    Fica a ideia.
    E boa sorte.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estava para comentar acerca do Pinhal Novo xD
      É bastante perto da AE a ir para a 25 de Abril, e para a Vasco da Gama tambem.
      Tem zonas girissimas, casas bonitas q devem ser ao estilo e preços do Montijo tambem (não tenho a certeza mas talvez valesse a pena procurar!)

      Eliminar
    2. Sou a anónima lá de cima do T3 novo por 150 mil e é mesmo no Pinhal Novo que vivo :) Os meus pais vivem na Villa Serena, compraram uma das vivendas há uns anos e é uma casa de sonho! Adoro viver aqui!

      Eliminar
  7. É insistir todos os dias.. Eu fiz isso e num belo dia apareceu a casa de sonho, na zona que eu queria.. uma senhora com pressa em vender e voilá.. a minha casinha! =)
    Beijinhos,
    http://chicana.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  8. Olá Anne
    A compra de um imóvel é uma escolha muito pessoal. Como por aqui se vê, existe quem goste de viver fora de Lisboa onde se encontram casas muito boas e acessíveis e quem goste de viver em Lisboa com todas as vantagens que se conhece. Procura por Telheiras (bairro fantástico) e Benfica onde recentemente uma amiga comprou uma vivenda com 5 assoalhadas a um preço aceitável. Boa sorte
    Paula

    ResponderEliminar
  9. Cara Anne,

    Urbanização Malvarosa, em Alverca, a 15 minutos de Lisboa

    Para além da zona residencial, tem zona de comércio, Escola e, fica perto do Colégio privado "Fundação CEBI".
    Em frente a esta urbanização, o JMBO, PINGODOCE e CONTINENTE

    Não sou funcionária, nem de imobiliárias, nem das lojas que mencionei (nem nada que se pareça)
    Tão somente habito nessa urbanização e, é francamente agradável.
    Acresce que, a autoestrada de Alverca para Lisboa não tem portagem!

    https://www.google.pt/search?q=urbaniza%C3%A7%C3%A3o+malvarosa&tbm=isch&tbo=u&source=univ&sa=X&ved=0ahUKEwjmxfPK3v3ZAhWN_aQKHU0CAU0QsAQIgQE&biw=1366&bih=651

    Feliciades!
    HM

    ResponderEliminar
  10. Tens Almada, Mafra, Malveira, Venda do Pinheiro

    ResponderEliminar
  11. Uma das coisas que me fez sair de Lisboa para uma cidade mais calma, foi o tempo que demorava para qualquer local, a não ser que tivesse linha de metro era quase sempre terrível. Para além disso também me fazia e faz imensa confusão quem mora em Lisboa considerar tudo isto normal, por exemplo assumirem como normal haver trânsito na estrada x à hora x, que sexta feira as estradas estão mais caóticas, que dias de chuva demorar 2 horas para fazer 20km é pacífico.
    Considero uma perda tempo brutal passar mais do que 30min a fazer um trajecto casa trabalho, ao final de uma semana são 5h que perdemos e que podíamos ter feito coisas que realmente nos dêem prazer.
    Já vivi a 15 minutos da faculdade, depois a 10 minutos do trabalho, agora vivo a 5 minutos, pelo andar da carruagem qualquer dia mudo-me para o gabinete ou começo a trabalhar em casa :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas quem mora em Lisboa dificilmente terá de fazer 20km para o trabalho/casa, essa é precisamente a vantagem de viver no centro/perto do trabalho! Quem faz isso é quem mora nos arredores, que tem de somar o tempo de chegar à cidade + o trânsito da própria cidade, que se agrava tudo com chuva, 6as feiras, rock in rio, jogos do Benfica, etc. Vivo há 7 anos no centro de Lisboa, já trabalhei e vivi em 3 sítios diferentes e nunca demorei mais de 30min no percurso casa/trabalho (conjugando transportes e ir a pé, nunca usei carro nessas deslocações). Neste momento demoro entre 10 a 15min a pé e o meu marido a mesma coisa (dependendo dos sinais das passadeiras ahah). Temos o carro estacionado à porta de casa e não lhe tocamos a semana toda (só se tivermos mesmo de ir a algum local à noite), só aos fins-de-semana é que usamos.

      Eliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig