17 abril 2018

O caminho faz-se caminhando...

Não é o que costumam dizer? E sim, acredito muito nisso. Não sou pessoa de desistir à primeira (nem à segunda, nem à terceira...) e embora este blog nunca tenha servido de "muro de lamentações" e raramente tenha vindo para aqui expor coisas tão íntimas da minha esfera pessoal, desta vez achei que era mesmo importante partilhar convosco. E por quê? Eu explico. Por ser um assunto sobre o qual muita gente não fala, que ainda é tabu, que ninguém gosta sequer de imaginar: os Abortos de Repetição. Ninguém quer falar sobre isso, mas eu sinto-me confortável neste momento para abordar o tema. Talvez por ter acabado de passar pelo segundo aborto espontâneo (sim, engravidei novamente em Março e perdi com 5 semanas). Inacreditável para mim, que nunca pensei viver isso pela segunda vez. Mas aconteceu e estou cá, cheia de esperança de que - finalmente - estamos perto de encontrar a causa disto.

Sim, acontecer uma vez é absolutamente normal, especialmente numa primeira gravidez. Acontecer novamente numa segunda gravidez - apesar da maioria dos médicos dizer que sim senhor, é normal - eu já não consigo achar. Tive dois abortos espontâneos em quatro meses: um em Dezembro, outro em Março. Não posso achar normal. Se na primeira gravidez ouvimos o coraçãozinho, desta vez nem embrião consegui ver, foi mesmo muito no início. Felizmente não precisei passar por outra curetagem nem por todo o terror da primeira vez (anestesia geral, bloco, transfusões de sangue, internamento...)  mas foi um choque porque jamais pensei que "o raio poderia cair duas vezes no mesmo sítio" como se diz.

(Sei que este assunto não interessa a toda a gente, que estão à espera de posts à moda antiga (com viagens, compras, dicas, decorações, etc...) mas como já aqui disse várias vezes, esse blog é sobre mim e jamais poderia falar sobre qualquer outra coisa que não fosse a minha realidade. E a minha realidade actual é isto: exames, consultas, gravidez, etc. Compreendo perfeitamente que não se identifiquem com o post mas aviso já (spoiler!) que este post é totalmente dedicado ao tema.)


Segundo o meu médico, somos um caso de "fertilidade exacerbada" porque engravidamos sempre no primeiro mês de tentativas mas a verdade é que não passo das 7 semanas e de nada adianta "engravidar quase por wireless" se depois não dá em nada. Desculpem a sinceridade mas foi mesmo isso que me apeteceu responder ao médico. Após a primeira perda fiz os seguintes exames:

- Análise sanguínea de trombofilias (Anti-fosfolípido, lúpico, cardiolipina, etc) || 2 valores "minimamente alterados" que foram desconsiderados como causa do aborto
- Estudo genético de trombofilias || 1 mutação para o gene MTHFR em heterozigotia que foi também desconsiderado como causa do aborto
- Análises hormonais (FSH, Progesterona, LH, Prolactina, Estradiol) || tudo perfeito! (alguma coisa havia de estar perfeita, ao menos que seja a ovulação, caraças!)
- Hormona Anti-mulleriana e despistes de doenças infecciosas (Rubéola, Toxoplasmose, HIV, Citomegalovírus, Hepatites, etc) || tudo ok também (já sou imune à rubéola mas não à toxoplasmose)
- Ecografia pélvica com contagem de folículos antrais e análise do útero || tudo bem, endométrico homogéneo, folículo pré-ovulatório no ovário direito, vários mini-folículos antrais, tudo perfeitinho.

Levei toda essa papelada para o meu médico ver e ele disse que estava tudo impecável, que não havia razões para preocupações, que provavelmente o aborto se deu por má divisão celular do embrião. Mandou-me tomar ácido fólico e começar os treinos, sendo que assim que engravidasse deveria usar Progefikk 200mg (progesterona) para reforçar o endométrio. Três semanas após essa consulta já eu estava grávida (sou do grupo de mulheres que sente a "dor da ovulação" e sabe sempre o dia mais fértil, daí engravidar muito rápido). Fiz tudo certinho, repouso, progesterona de 8/8h, alimentei-me o melhor possível, tomei os suplementos vitamínicos todos... e tive uma hemorragia de uma hora para outra, sem nada o prever, que arrastou tudo com ela. Em uma semana tinha o útero completamente limpo, sem resquícios de gravidez.

Na semana passada voltei ao médico, que me disse não saber o que dizer, que até a data não há uma causa clínica para isso acontecer, mas disse-me que provavelmente terei alguma trombofilia que ainda não está estudada (disse-me que actualmente os médicos só conhecem "a ponta do iceberg" das trombofilias) e que na próxima gravidez vamos começar a aplicar injeções diárias na barriga de Enoxaparina 40mg, como medida profilática. Entretanto, não sosseguei enquanto ele não me pediu mais exames. Não aceito esse diagnóstico "vazio", não quero ficar por tentativa e erro, percebem? Agora tentamos isso, agora tentamos aquilo... sem descobrirem o que está por detrás das perdas. Não quero ser cobaia desta situação.

Confio muito nesse médico (é especialista em gravidez de risco e trombofilias), super recomendado e me passa muita segurança. Na última consulta eu estava arrasada e ele pegou na minha mão e disse: "tem calma, você vai ter os seus bebés, tenho certeza disso" e apesar de saber que nesta área não se têm certezas de nada, foi um consolo ouvir aquilo. Porque sei que ele está há mais de vinte anos nisto e já viu de tudo. Porque só apanha casos difíceis (falou-me numa senhora que só conseguiu a criança na 9ª gravidez e eu até me arrepiei) e sei que não falaria algo desta natureza em vão. Foi um querido.

Entretanto, de todos os exames que se fazem para Aborto de Repetição, só me faltavam mais três: Cariótipo do Casal (análise estrutural dos cromossomas meus e do meu marido), Espermograma do meu marido e Histerossalpingografia (exame minucioso que analisa com uma micro-câmera o útero e as trompas). Vamos à isso!

Hoje fomos fazer o Cariótipo. O seguro dele (Médis) comparticipou uma parte e o exame dele ficou a 70€. O meu seguro (AdvanceCare) não comparticipou e paguei 105€. Sei que vocês têm curiosidade em relação aos valores dos exames, por isso mencionei estes. O espermograma será para a semana e a minha Histerossalpingografia (estou tão cagada de medo deste exame, dizem que dói, que tem que ser com anestesia mas graças a Deus é o meu médico que o vai fazer e fico mais aliviada) só pode ser marcada quando me vier o período, lá para o início de Maio.

O médico diz que esse exame ao útero e às trompas é importantíssimo, especialmente após uma curetagem (podem ter ficado as tais sinéquias, que são aderências/cicatrizes no útero e nesse mesmo exame é possível remover). Sei que o seguro também não comparticipa (custa 165€). Eu nem me posso queixar do meu seguro porque eles devem estar com os cabelos em pé comigo. Aquilo que não dei uso nos últimos 5 anos estou a gastar tudo agora...enfim.

Entretanto, em conversa com a minha mãe descobri que temos 6 parentes diretos que tiveram tromboses/embolias/AVCs, inclusive a minha mãe (Trombose numa perna), a minha tia materna (faleceu de embolia pulmonar), o meu avô materno (3 AVCs) e outros. É estranho que no meu estudo genético só tenha acusado uma mutação "leve" num gene (que sequer é considerado trombofilia pelos médicos). Estou um bocado confusa. Alguém deste lado com problemas de trombofilia que me possa dar uma luz? E se alguém já tiver feito o exame da Histerossalpingografia, pode partilhar como é o procedimento? (se doer muito, por favor, omitam essa parte que sou menina para fugir a correr do hospital).

[Ao contrário do que toda a gente pensa, não estou triste nem desanimada. Estou com medo, preocupada, mas tenho certeza absoluta que vai acontecer. Não sabia que me daria tanto trabalho, mas eu também nunca gostei de nada "dado de bandeja". Se fosse fácil não seria mesmo para mim. Estou focada nisto a 1000%, quero logo descobrir o que se passa, encontrar causas, tratar... e finalmente, poder ficar aliviada.]
SHARE:

43 comentários

  1. Olá Anne eu fiz duas histossalpingografias...é um exame que é coma espécie de ecografia com contraste, ou seja primeiro põem-te o bico de pato(como no papanicolau) depois vai tipo um fio/tubo(não sei o nome) até ao útero e sentes uma picadinha e a partir dai é inserido o contraste e a médica vê as imagens obtidas. Quando é inserido o contaste sentes um pouco de cólicas e calor mas é um exame relativamente rápido.(O primeiro que fiz foi há 10 anos e o segundo há 6 anos por isso pode já exisrir algum procedimento mais moderno).
    Atenção Anne que este exame só pode ser realizado até ao 11º dia após o primeiro dia da menstruação...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, obrigada :)
      O meu médico explicou-me assim por alto e disse-me que se eu quiser pode usar sedação ou anestesia local. Eu não sei pelo que vou optar mas a "sangue frio" não vai ser, que eu tenho uma tolerância a dor próxima de zero. E sim, ele falou-me que este exame só pode ser feito entre a menstruação e a ovulação (para garantir que não estamos grávidas na altura do exame).

      Eliminar
  2. És uma querida. Nunca passei por isso, mas essas tuas palavras calmas, esse teu relato tão esclarecedor pode ajudar muitas pessoas.

    Beijinhos. E vai tudo correr bem!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada ;) Espero que ajude alguém, eu no início fiquei completamente perdida, não sabia quais exames fazer (queria mesmo fazer todos e cobrir as hipóteses em aberto) por isso se serviu para ajudar alguém, já valeu a pena o post :)
      Eu tenho fé que tudo dará certo :** Beijinhos

      Eliminar
  3. Ah, e não foi com anestesia...não se justifica...pelo menos para mim não...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ui que coragem... eu sou uma maricas, tudo me dói :P

      Eliminar
  4. Os exames que fizeste após a 1ª perda são todos realizados com uma análise ao sangue (excepto a ecografia, claro)?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, sim todos realizados com análises ao sangue. O mais demorado foi o estudo genético das trombofilias (e agora o cariótipo) porque levam 3 a 4 semanas para sair o resultado. De resto, são mesmo análises normalíssimas :)

      Eliminar
    2. Obrigada pela informação :) sou da tua idade (só ainda não fiz 31, é daqui a uns meses) e estamos há 6 meses a tentar, não aconteceu ainda. Já tenho consulta marcada para maio, suponho que me mandem fazer esses exames também. Fico contente de serem "fáceis". Boa sorte para nós!

      Eliminar
  5. Olá Anne

    Lamento muito que tenhas passado por outra perda. Muita força.

    Eu tenho trombofilias e recomendo que faças um novo estudo com uma Hematologista maravilhosa e que muito tem ajudado a trazer bebés ao mundo. Chama-se Dra Rosa Maia e trabalha em Coimbra, na Casa de Repouso Sofia, procura na net e vais encontrar contactos. Esta médica já ajudou a encher o colo de quem diziam ser impossível e que só por milagre.
    Acho muito estranho que com esse historial familiar não tenham descoberto mais marcadores de trombofilias. Há alguma coisa que não foi estudada, mesmo dentro dos que já são conhecidos, mas para isso, não há melhor do que ir à especialista de trombofilias, que te vai fazer um estudo para 14 marcadores genéticos. Além do mais, o marcador que tens e que não é valorizado por muitos ginecologistas/obstetras será valorado por uma especialista e ainda para mais, já com 2 abortos no historial e com esse histórico familiar.
    Nem penses duas vezes, e vai â Dra Rosa Maia.

    Em relação ao exame, já o fiz, e para mim foi pacífico, não estava nada à espera de que não custasse praticamente nada (não sei se por já ter ido para lá depois de já ter passado por muita antes), mandaram-me tomar um brufen antes, e depois o que me custou mais no exame foi a introdução do bico de pato, que detesto, isso para mim é o pior, depois a sonda causa uma impressão ligeira e sentes uma moinha leve de período. Foi o que senti de mais incomodativo, mas ainda assim, muito suportável, e acho a introdução e encaixe do bico de pato, mil vezes pior.
    Foi a minha experiência, e não estou a dizer só para não te assustar, porque sei que para muitas mulheres não é assim.
    Não sangrei quase nada no dia, só umas gotas, mas 3 dias depois ainda tinha um ligeiro spotting acastanhado que é normal, e que passou. Não tive anestesia e não se justifica para mim.

    Ainda bem que agora já vão fazer também os cariótipos e espermograma. Já que é para fazer exames, então que se faça à tudo.

    Boa sorte. Se tiveres dúvidas, estou aqui para ajudar.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá minha querida, obrigada pelas palavras. Eu já pesquisei sobre essa médica, dra. Rosa Maia e consegui ligar para Coimbra a fim de marcar, tenho consulta com ela no início de Maio, vamos lá ver se descobrimos mais alguma coisa. Eu também acho muito estranho que só tenha dado uma "leve mutação" quando tenho um histórico familiar fortíssimo para trombofilias. Enfim...

      Quanto à histerossalpingografia, eu estou tããão cagada de medo mas tem que ser, já só me falta este exame e não quero deixar nada por investigar. Eu acho que vou mesmo pedir anestesia mas o meu médico é muito delicado e querido, talvez não doa assim tanto, não sei... Vai ser para a semana, estou a preparar-me mentalmente :)

      Muito obrigada pela ajuda e pela dica da médica.
      Beijinhos

      Eliminar
    2. Olá Anne

      Fico muito aliviada de saber que já tens consulta marcada com a Dra Rosa Maia. Vais gostar dela, e é a pessoa certa para ajudar-te no que toca às trombofilias.
      Não esperes uma clínica toda XPTO, é uma clínica simples (bem como o laboratório com quem trabalham, mas tem pessoas muito competentes), mas tens ali uma grande médica, uma grande profissional.
      É muito humana, preocupada, rigorosa (vai aos pormenores do problema), empenhada e que adora o que faz, e vibra com cada bebé que ajuda a trazer ao mundo. Já trabalhou no público e infelizmente não se importaram muito com a especialidade, quando ela queria formar equipas e médicos, e então ela bateu com a porta do público e pode dar-se ao luxo de só trabalhar no privado. Tenho medo, muito medo, de quando ela se reformar, porque não haverá outra pessoa que a substitua. Só espero que nessa altura, ao menos já tenha os braços ocupados (não é por ela que não os tenho, porque se o meu problema fosse só as trombofilias, já teria umas três crianças). Ela é médica para te ligar a um domingo ou feriado se for preciso. Muitas vezes, ela mandou-me ligar à hora do jantar dela, e estava lá, para mim, para me dizer o que fazer nesse dia, no que tocava à medicação.

      Há uma coisa que ela faz, mas não que para mim, não faz diferença (porque hoje outra pessoa, amanhã eu) que é atender telefonemas de pacientes quando está em outras consultas. E fá-lo,porque muitas pacientes dela são grávidas que já chegaram à ela com umas quantas perdas em cima ou são pacientes que chegam à ela depois de quase terem morrido por um AVC, TVP ou Embolia Pulmonar, pelo que ela está sempre disponível para atender às chamadas porque pode ser muito importante dar recomendações à essa pessoa. Eu não me importo, e nunca me opôs à que ela atenda chamadas durante a minha consulta, porque ela também já atendeu as minhas quando precisei. É como digo, hoje outro, amanhã nós. Há que entender e respeitar que há situações que precisam mesmo de uma decisão dela na hora.

      As consultas custam 90 €. A clínica não tem protocolo com as seguradoras, depois o paciente é que envia a papelada para a seguradora.

      Dado o teu historial famíliar, ela se certeza que vai querer fazer o estudo da família, principalmente com a tua mãe, e depois os teus irmãos. Também é importante que a Vi faça, porque se tiver também trombofilias não vai poder tomar a pílula. Não te esqueças de dizer que a tua mãe teve dificuldades para engravidar da Vi, que perdeu outros bebés e que teve pré-eclampsia (com todo o vosso histórico familiar não faz mesmo sentido que só tenha dado essa alteração nesse gene, acredito que não tenham estudado mais marcadores. Do que li numa outra resposta tua, acho que só estudaram 5, mas a Dra já cuida de ti, vais ficar bem entregue). Até me espanta, que nunca vos tenham encaminhado para a hematologia. Irem à Dra Rosa, vai ser muito bom para ti, mas também para os teus, principalmente para a tua mãe, que já teve uma trombose venenosa profunda.
      Os sinais de alarme para trombofilias são os que vocês têm; historial de AVC's, TVP, Embolias Pulmonares e mortes causadas por elas, partos permaturos, pré-eclampsia na gravidez, abortos, infertilidade (seja o não engravidar ou engravidar e perder), bebés de termo nascidos com menos de 3 kg (o chamado RCIU).

      Fazem muito bem em ir de férias, porque alivia a alma e renova as forças depois de tanta dor, e é muito bom para o casal, para ganhar mais fôlego. Divirtam-se muito e que possam voltar um bocado mais leves.

      Muita força, e nada de perder a esperança.

      Desejo do fundo do coração, que não tenhas um pacote tão grande de problemas como o meu.

      Quanto ao exame, se tens pouca tolerância à dor, então faz com anestesia, não vá no teu caso ser um exame muito doloroso, e já tens sofrido o suficiente, e escusas de levar com mais uma situação difícil.

      Beijinhos

      Eliminar
  6. Quanto ao exame, ele começa com a introdução do bico de pato, depois ao mesmo tempo uma sonda fininha pelo colo do útero (é a altura em que podes ficar mais incomodada, a mim só fez uma ligeira impressão), depois através da sonda introduzem um soro no útero que permite ver melhor o dito-cujo, e fazem então a introdução da sonda ecografica na vagina (já deves ter usado na gravidez e na contagem antral) e vêem tudo ao pormenor. Depois de feito retiram a sonda escográfica, a sonda pequena e o bico de pato.
    Deves levar um penso, porque depois podes ir libertando soro e podes sangrar muito ligeiramente.
    Depois mandam ficar uma meia hora na sala de espera (pelo menos onde fiz, fazem assim) para verem se estás bem e sem reacções, se estiveres bem, podes ir para casa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, obrigada pela explicação. Sim, o meu médico disse que talvez sangre um bocadinho mas vou fazer o exame nos Lusíadas e eles lá dão pensos, resguardos e tudo isso, não preciso me preocupar. O médico disse que ficamos deitadas num quartinho a repousar por 1 hora após o exame, para ver se há alguma reacção e depois, siga para casa. Estou confiante que correrá bem (se eu não desatar a fugir antes do exame)

      Eliminar
  7. Eu passei por uma situação parecida...sempre engravidei "à primeira" e depois de ter passado por quatro abortos (um entre os dois primeiros filhos e três depois do segundo), fiz quase todos os exames que a Anne fez e que só me vieram dizer que não havia razão nenhuma que não fosse a "lotaria" da divisão (má) dos cromossomas...mas fui mantendo a esperança e de repente a lotaria mudou e o terceiro já vem a caminho....vai correr tudo bem!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, obrigada por partilhar comigo a sua história. Sabes, eu já pensei que poderia ser "coincidência" ou "azar" mas caramba, 2 vezes em 4 meses dá que pensar. Eu não vou desistir, vou continuar a tentar até que a minha lotaria mude ;) mas quero estar descansada que não existe nenhum problema entre eu e o meu marido.

      Um beijinho e muitas felicidades com o pequenino que aí vem =)

      Eliminar
  8. Cada caso è um caso. A introdução do soro no exame foi horrível para mim. Fiz semanestesia, recomendo vivamente a anestesia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ui ui que medo. Eu a princípio vou querer a anestesia, sou um rato medroso :P

      Eliminar
  9. Olá Anne. Não faço ideia do que estás a passar mas um dos meus grandes sonhos é ser mae (só daqui a uns anos) por isso queria só mesmo deixar-te um beijinho, desejar muita força e que corra tudo bem :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada querida! Que corra tudo bem para mim (e no futuro, para ti também). Um beijinho

      Eliminar
  10. Quando tiveres o teu bebé nos braços vais pensar que só podia ser aquele bebé. Que tudo o que aconteceu foi precisamente para *aquele* bebé chegar. Foi-me o que me ajudou a ultrapassar melhor o meu aborto espontâneo. Beijinhos e força!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Rita, olha que nunca tinha pensado por esse ponto de vista. É algo que ajuda a consolar e dá-nos alguma resignação sobre aquilo que não podemos mudar. Espero que logo eu possa ter essa mesma visão :) Beijinhos e obrigada

      Eliminar
  11. O seu testumunho é idêntico ao da minha irmã . Depois de muitos tratamentos, exames e dois abortos conseguiu engravidar. Hoje tenho sobrinhos gémeos que são uns amores! Boa sorte e que lhe corra tudo bem

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gosto tanto de ouvir histórias de sucesso após tantas tristezas. Fico muito feliz que tenha corrido bem (e logo gémeos, que alegria!). Obrigada pelas palavras.

      Eliminar
  12. e mantenha-se assim querida Anne pois já a "conheço" há tanto tempo e sempre assim: tão genuína e sincera connosco, que eu a considero "minha".... beijinhos, abraços e muita fé!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Maria, obrigada pelas palavras, que querida! Eu tento sempre ser o mais franca e sincera possível, especialmente se o meu relato puder ajudar alguém que passa por esse momento duro. Muitos beijinhos!

      Eliminar
  13. Olá Anne felizmente não passei por isso, engravidei Tb logo à primeira tentativa, de gémeos, onde tudo correu bem até às 30 semanas em que fui diagnosticada com pré-eclampsia, conseguimos que os bebés nascessem às 32 semanas e 3 dias, mas já no limite para mim. Não passei pela tua dor, mas passei por um outro tipo de agunia, que é o nascimento de prematuros e 40 dias em uma unidade de neonatalogia, e por ter passado por essa experiência, acredito que o que não nos mata torna-nos mais fortes e tarda, quando menos esperares terás o teu tesouro nos braços.
    Em contrapartida tenho uma amiga que passou 3 vezes pelo q passas-te e hoje tem um belo de um rapagão. Que Deus te acompanhe e te dê muita força. Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Vânia, antes de mais parabéns pelos bebés! :)
      Eu sei o drama que é a pré-eclampsia, a minha mãe teve na gravidez dos meus irmãos mais novos, a Vi nasceu de 6 meses e meio à conta disso, é um desespero. É desesperador ver um bebé tão pequenino com tubos, incubadoras, fios... e realmente, tudo isso só nos fortalece e nos ensina tanto!

      Felizmente já tens os teus pequeninos saudáveis, é o que importa. O resto esquecemos ;) Eu estou confiante que o meu bebé arco-íris não tardará a chegar. Um beijinho

      Eliminar
  14. Anne ja fez o exame do Faktor-V-Leiden-Mutation?Causa muitissimo frequente para esses abortos.Boa sorte e que descubram depressa a causa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá querida. Fiz sim, no estudo genético das trombofilias. Deu negativo =/

      Fiz estudo a 5 genes:
      FV Leiden (R506Q): não portador da mutação
      PT 20210G»A: não portador da variante
      MTHFR 677 C»T: não portador da variante
      MTHFR 1298A»C: possui variante em heterozigotia
      PAI-1 5G/4G: não portador da variante

      Supostamente só tenho uma "mutação leve" no gene MTHFR mas continuo a achar estranho...

      (obrigada pelo comentário e um beijinho)

      Eliminar
  15. Anne
    Qual é a pressa? Que obsessão é essa? Relaxe um pouco. O stress é inimigo dos objetivos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é pressa nenhuma, aliás, tentamos em Outubro numa vibe completamente relax "ainda vai demorar uns 6 meses a acontecer" e eu quase tive um ataque quando vi o teste positivo (entrei em pânico porque jamais pensei que fosse tão rápido). A questão é que perdi dois bebés e começo a pensar que se calhar existe um problema, que pode demorar tempo a ser resolvido, que pode requerer tratamentos de FIV ou ICSI, que pode custar muito dinheiro, coisas que preciso "antecipar" caso queira ter o meu filho. Hoje tenho 31 anos recém-feitos mas e se levo 3 ou 4 anos a conseguir levar a gravidez até ao fim? O meu marido já tem 36 anos, não vai para novo.

      Se não existisse nenhum problema estaria descansada da vida. Mas existe uma dificuldade, que não sei ainda a raiz do problema e não sei o tempo que leva a resolver... por isso a pressa.

      Eliminar
    2. Até me salta a tampo ao ler este comentário. O stress é inimigo dos objectivos? 🙄🙄

      Mas estamos a falar da mesma pessoa? Da Anne que infelizmente teve dois abortos segundos em quatro meses? Que não sabe o que se passa, que tem um historial familiar pesado, e que pode ter trombofilias ou outro problema que muito provavelmente irá implicar cuidados e seguimento médicos apertado?

      Como é possível. É sinal que felizmente nunca passaste por uma situação destas. Se uma já dói e nos marca para a vida, fará duas ou mais.

      Então o que ela devia fazer? Andar a tentar sem acompanhamento médico que ajude a contornar o que está a impedir a evolução da gravidez, como se se tratasse de um simples bolo que correu mal, deita-se a fora a massa e faz-se outro? Até que corra bem? E até lá, ela vai estar a destruir a saúde física e mental, e a colocar o útero em risco com curetagens?

      Eliminar
    3. Porque o saber nunca ocupa lugar, ficas com a informação de que a infertilidade não se verifica só quando a mulher não consegue engravidar, mas também quando a mulher engravida com facilidade e perde o bebé, pelo que a Anne não sabe se há algum problema de infertilidade. Logo, faz todo o sentido ir atrás de respostas, e que elas venham para que ela possa ficar a saber o que tem de fazer.

      Eliminar
  16. É o medo que tenho e que me tem afastado do stress, ano após ano.
    Tenho historial familiar de abortos de repetição...
    Só te posso deixar o meu carinho e força ***

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que isso do "historial" talvez não queira dizer nada... Eu não tenho historial de aborto na família, aliás, venho de uma família gigante onde toda a gente tem no mínimo 3 filhos. Nenhum aborto. E eu acabei por ter 2 por isso não fiques preocupada antes da hora. =)
      Tudo a correr bem

      Eliminar
  17. Olá Anne, um dos meus grandes sonhos de vida também é ser mãe (daqui a uns anos, pois ainda sou muito nova). Adoro ver bebés, crianças, enfim, quase todos os dias penso nisso! No outro dia disseram-me uma coisa que me fez pensar "Deus (universo, destino, seja o que for) só põe na nossa vida coisas que conseguimos suportar". Claro que a Anne já sentiu muita dor e sofrimento, e se calhar ainda sofre, mas acredito que está cada vez mais forte e "maior" como pessoa e ser humano.
    Já visualizo a anne e o marido, e a sua família, a acarinhar o seu futuro bebé, a cuidar dele. Imagino a anne com o coração a transbordar de amor. É isto que visualizo e desejo à si e à sua familia com todo o meu coração.
    Não acredito propriamente em Jesus/Deus, acredito em algo superior, mas como sei que a anne é crente vou "rezar"/pedir que daqui a uns meses e no tempo que Ele achar ser o melhor, a anne vai receber uma ótima noticia de que vem ai um bebé muito desejado.

    Muito obrigada por partilhar a sua experiência, tanto de exames e médicos como emocional. Beijinhos muito grandes cheios de amor

    ResponderEliminar
  18. Lamento muito as tuas perdas.... :( mas nunca percas a fé! ningem deveria passar por isso duas vezes ;( a minha Histerossalpingografia não doeu nadinha, ia cheia de medo! Beijinho <3

    ResponderEliminar
  19. Olá Anne também ja tive 2 abortos e fiz muitos exames, mas o das trombofilias a medica disse que só posso fazer depois de 3 meses do aborto. Por isso é que os seus valores podem estar alterados. Ainda não fiz o meu. Beijinhos

    ResponderEliminar
  20. Fiz uma histossalpingografia por causa de um pólipo, não vou entrar em detalhes, se puderes fazer com anestesia faz, sem dúvida nenhuma.
    Quando acabou eu disse logo que para tirar o pólipo queria estar a dormir, assim foi, maravilhoso.
    Fight like a woman...

    ResponderEliminar
  21. Eu fiz uma histerossalpinpografia em agosto de 2017, na Cruz Vermelha e ninguém me perguntou se queria anestesia!!!

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig