23 setembro 2018

Coisas que não percebo...#22

... gente que leva a vida "com a corda no pescoço" em termos financeiros, que está sempre a queixar-se que não tem dinheiro, que não pode pegar no carro ao fim-de-semana por não ter gasolina, que esse mês teve que pagar a conta de água já depois do aviso do corte...  mas está sempre de cigarro na mão.

Eu não tenho nada a ver com a vida financeira de ninguém, cada um sabe onde mete o seu dinheirinho e cada qual sabe gerir a sua carteira da melhor forma mas caramba, que me faz impressão, faz.

Talvez por ser a pessoa mais "anti-tabaco" desse mundo (não suporto o cheiro, o que faz aos dentes e aos pulmões, o facto de ser um vício que destrói famílias inteiras - e digo-o por mim, que perdi a minha avó à pala dessa porcaria), não permito sequer que fumem ao meu lado. Se acendem um cigarro ao meu lado, é certinho e garantido que vou sair de perto. Não suporto, mesmo. Felizmente ninguém da minha família direta fuma, nem o meu marido, nem a família dele. Já os meus amigos... é outra conversa.

Mas dizia eu que nunca vou compreender o facto de alguém com pouco dinheiro ter o vício de fumar. É uma idiotice pegada. Já dizia a minha avó "quem não tem dinheiro, não tem vícios" e é a mais pura verdade. Há dias alguém comentava comigo que estava mesmo à rasca, que tinha a conta da luz em atraso e mais não sei quê. Uns dias depois, vejo a pessoa fumar um cigarro atrás do outro e não me contive: "Olha lá, tu fumas quantos maços por semana?". A resposta surpreendeu-me: "Fumo um maço a cada dois dias, mais coisa, menos coisa.

Foi impossível disfarçar a minha cara de espanto. Como assim, um maço (que custa 4,50€) a cada dois dias, mas não paga 45€ de conta de luz, um bem básico e essencial? Ainda se a pessoa tiver condições para sustentar o seu vício sem comprometer outras áreas da vida (como a manutenção das contas básicas em casa), tudo bem, cada um sabe de si. Mas claramente não era o caso! Um maço a cada dois dias custa à volta de 65€ por mês.

Pode parecer pouco, mas para quem anda enrascada é dinheiro que dá bastante jeito. Eu tento perceber que é um vício, que não dá para "parar de repente" mas procurem ajuda, caramba! É que só se estão a enterrar ainda mais e a dar cabo da saúde (já nem falo dos dentes, que para mim é um corta-interesse imediato). Andar pelos cantos a refilar que não tem dinheiro e que qualquer dia lhe cortam a luz mas ter sempre um maço novo de tabaco na carteira é que não se percebe. Enfim.. cada cabeça, sua sentença.
SHARE:

15 comentários

  1. Já somos duas. Conheço muitas pessoas assim, são uns coitadinhos mas depois para os cigarros, bebidas alcoólicas, unhas de gel etc, já tem dinheiro. É tudo uma questão de prioridades, muitas pessoas deviam ser ensinadas a gerir o dinheiro que têm.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não se percebe, mesmo. Eu não sou a melhor pessoa para gerir finanças mas jamais fiquei endividada ou comprei algo que não conseguia pagar. Temos que ter um limite, esticar a corda até onde conseguimos acompanhar. As pessoas afundam-se por causa do tabaco, deixam de viver, de pagar as suas contas... por um vício horrível. Tenho uma amiga que nem carrega mais o telemóvel porque não lhe sobra dinheiro. É incrível!

      Eliminar
  2. Apesar de não fumar, o meu companheiro fuma e se tivesse dificuldades financeiras, deixar de fumar era a primeira acção a fazer!! Mas o mal geral é que não têm literacia financeira e vivem para o dia a dia...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, essa seria a atitude sensata a tomar. O tabaco é um "luxo", se a situação financeira se agrava e há necessidade de cortar nos extras, também concordo que o primeiro a "sair" deveria ser o tabaco. É mesmo como tu o dizes, as pessoas vivem para o dia a dia.. =(

      Eliminar
  3. Podia ter sido eu a escrever este texto. Não suporto tabaco e também não entendo essas pessoas q se queixam mas andam sempre a fumar. Escolhas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É tão mal.. eu fico transtornada quando vejo grávidas a fumar, mães com bebés no colo num braço e o tabaco no outro... não têm amor pelas crianças? Esta merda de ser fumante passivo parece que mata mais que quem os fuma de verdade. Odeio tudo no tabaco, não o suporto e desde que perdi a minha avó, menos tolerante fiquei para quem fuma em qualquer lado e não respeita o espaço dos outros.

      Eliminar
    2. Também odeio. Se estou na rua e vai alguém a fumar à minha frente, tento ultrapassá-lo ou mudar de passeio. Não suporto sequer respirar esse cheiro, odeio ter as janelas abertas em casa a arejar e entrar o mínimo cheiro de um vizinho que está a fumar à janela ou na rua, jamais conseguiria conviver no dia-a-dia com fumadores (felizmente também ninguém da minha família/amigos próximos fuma). E os porcos que os fumadores são? A quantidade de beatas que há no chão? A indiferença com que lançam a beata no final de fumar, mesmo com caixotes ao pé, como se não fosse lixo? Dá-me nojo isso tudo.

      Eliminar
    3. Sabe que os obestetras que dizem às futuras mães para não cortarem rápida e totalmente no tabaco...?

      Eliminar
    4. Sabe que se as futuras mães fossem minimamente conscientes teriam deixado de fumar antes de engravidar? Aí já não teriam de cortar "rápida e totalmente" quando estão a prejudicar o ser que mais deviam amar.

      Eliminar
  4. Ficas logo toda ofendidinha se alguém diz que gastas imenso dinheiro em malas de luxo ou em viagens de resort, dizes logo que cada um sabe da sua carteira e que é assunto que só interessa ao próprio mas depois é ver posts desses em que estás claramente a gerir a carteira alheia quando odeias que te façam o mesmo! Eu fumo, abro mão de várias coisas tipo fazer compras de luxo absurdas mas tenho sempre dinheiro para aquilo que quero comprar... cada um sabe de si.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A diferença é que ela compra malas caras porque pode, ninguém a ouve queixar com falta de dinheiro para as coisas básicas. A questão são as pessoas que passam a vida a lamentar-se com falta de dinheiro mas têm 150 ou mais euros para gastar em tabaco por mês. Cada um sabe da sua vida é certo mas não se venham queixar que não têm dinheiro para a agua ou luz etc

      Eliminar
    2. Oi? Estamos a falar de coisas diferentes, apesar de girar tudo à volta do dinheiro. Eu tenho perfeita noção que gasto muito dinheiro em malas e em viagens, são das coisas que mais gosto de fazer/comprar nessa vida, são o meu hobby. Jamais, em tempo algum... comprei algo que não tinha condição para pagar. Porque para mim esses "luxos" são para me dar prazer e não preocupação. Qual a piada de comprar uma mala de 1500€ e depois passar 10 meses a pagá-la às prestações no cartão de crédito? Felizmente sei gerir aquilo que posso ou não comprar, sem comprometer outras áreas da minha vida. O que eu critico no post são pessoas que não tem condições para fumar (porque simplesmente não têm dinheiro para isso) e que preferem comprar tabaco e viver uma vida de merda (com ameaça de corte de luz, água, etc... que são serviços básicos!) por não saberem gerir prioridades. Quem tem o seu dinheirinho de parte para fumar e não anda pelos cantos a chorar que não tem dinheiro... óptimo par eles. O post fala sobre outros: os que fumam mas depois reclamam que não têm condições para nada.

      Eliminar
  5. Este texto poderia ter sido escrito por mim. Também acho que cada um é responsável pela sua carteira, e nunca me meto mas o lamentarem-se perto dos meus ouvidos é que não!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse é o ponto: querem engolir tabaco? É lá com eles... mas depois não venham com a conversa do costume que não pode ir ao café, que não pode pagar as contas de casa, que o dinheiro não estica... largasses o tabaco e já conseguias pagar as contas, caraças! Que nervossssss!

      Eliminar
  6. Tal e qual. Faz-me a mesma impressão. Também conheci gente assim. Que não podia comprar os óculos ao filho, mas em casa fumavam ambos( marido e mulher) uma média de 10 maços de tabaco.Também não consigo estar perto de alguém que fuma. O cheiro causa-me náuseas. Felizmente, já quase isso não acontece.
    Mas uma coisa que realmente me surpreendeu, pela negativa, é que mesmo após a proibição de fumar em espaços públicos, em Lisboa (e arredores) parece que as pessoas continuam a viver com o cigarro na mão, enquanto no Porto,se notou uma diminuição significativa do número de fumadores, quer na rua, quer nos espaços próprios nos centros comerciais, que na maior parte das vezes estão ou vazios ou com uma ou duas pessoas. (também é verdade que o poder de compra é menor no Porto e, quando o tabaco aumentou, muita gente procurou ajuda para deixar de fumar (conheço muita gente que o fez). Também o ter que vir à rua, no inverno daqui, para fumar um cigarrito, quando se trabalha num local ´público ou se está, por ex, num restaurante, tira a vontade num instantinho, ahahahah....Graças a Deus!

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig